Embraer divulga perspectivas de mercado para a aviação comercial

  • Notícias
  • Embraer divulga perspectivas de mercado para a aviação comercial

A Embraer publicou suas perspectivas para a demanda de aeronaves comerciais com capacidade de 30 a 120 assentos para o período 2011-2030. O relatório é elaborado anualmente pela empresa e analisa as tendências da indústria, identificando a demanda global de novas aeronaves por região nos próximos 20 anos. Enquanto a indústria continua se recuperando da crise financeira de 2008, algumas regiões estão liderando a retomada do crescimento e devem emergir como grandes forças econômicas. A desaceleração foi forte, mas a recuperação está sendo mais rápida do que o esperado. As previsões da Embraer refletem esta melhora, pois a demanda mundial de transporte aéreo, medida em passageiro-quilômetro transportado crescerá a uma taxa média anual de 5,2% até 2030. Nos próximos 20 anos, o mercado chinês registrará o maior crescimento, com uma taxa anual média de 7,5%, seguido pela América Latina (7,2%), Oriente Médio (6,9%), Ásia Pacífico (6,1%), Comunidade dos Estados Independentes (5,9%) e África (5,4%). Em regiões com economias mais desenvolvidas, como América do Norte e Europa, a demanda será menor (3,5% e 4,4%, respectivamente), devido à maturidade destes mercados e a uma recuperação econômica mais lenta. A Embraer prevê demanda mundial de 7.225 novas entregas de jatos no segmento com capacidade de 30 a 120 assentos para este período. Estima-se que o valor de mercado equivalente seja de US$ 320 bilhões. Deste total, 3.125 jatos deverão ser entregues entre 2011 e 2020 e outros 4.100 entre 2021 e 2030.O segmento de aviões de 50 assentos está sendo pressionado pelos preços do combustível e pelas tarifas aéreas reduzidas. No entanto, estas aeronaves ainda são essenciais para a alimentação dos principais aeroportos nos Estados Unidos e auxiliarão progressivamente o desenvolvimento da aviação regional em locais como CEI, África e América Latina. O segmento de 61 a 120 assentos tem oferecido flexibilidade e melhoria de eficiência às empresas aéreas, por meio do ajuste da oferta de assentos de jatos maiores, substituição de aviões mais antigos, desenvolvimento de novos mercados e crescimento da oferta de assentos nos mercados de jatos regionais. A frota mundial de jatos com capacidade de 30 a 120 assentos aumentará de 4.225 aviões em 2010 para 8.060 em 2030. Durante este período, 53% das novas entregas (3.835 jatos) serão introduzidas para sustentar o crescimento do mercado, enquanto 47% (3.390 jatos) substituirão aviões mais antigos. Em 2030, 835 jatos da frota atual (20%) ainda estarão operando. 20/06/11

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn