Flap participa da 11ª edição do ALTA PanAmerican Aviation Safety Summit

A revista Flap International representada pelo seu novo Publisher, Gianfranco Beting, participou em São Paulo da 11.a edição da ALTA – Associação Latino-Americana e do Caribe de Transporte Aéreo sobre segurança na aviação.  A segurança operacional é um componente central da indústria aeronáutica, a base da operação e o grande objetivo deste serviço essencial: levar milhões de pessoas e mercadorias para seu destino seguro. O Pan American Aviation Safety Summit é um encontro de especialistas de companhias aéreas, fornecedores, organizações, diretorias de aviação civil, escolas de voo e aeroportos.

A conferência aconteceu entre os dias 6 e 8 de junho, com uma agenda acadêmica destinada a enfrentar os desafios mais urgentes no contexto atual. O encontro incluiu a reunião presencial anual do Comitê de Segurança Operacional da ALTA com a participação da 28 Companhias Aéreas, a apresentação de 37 palestrantes com vasta experiência e trajetória reconhecida, além da participação do Administrador Interino da FAA, Billy Nolen, e mensagens especiais de Juan Carlos Salazar, Secretário-Geral da Organização Aviação Civil Internacional (OACI) e o embaixador C.B. “Sully” Sullenberger, representante dos EUA na ICAO, que é reconhecido mundialmente pelo pouso de emergência no rio Hudson, em Nova York, durante o evento conhecido como o “Milagre no Hudson”.

O debate teve como foco o constante fortalecimento da cultura de segurança, aprendizagem por meio de dados, saúde mental e emocional dos pilotos na pós-pandemia, além de investigação de acidentes, desempenho de segurança na região, cibersegurança, tecnologias para melhorar a segurança e a gestão do tráfego aéreo,  entre outras questões importantes sobre a segurança dentro da operação aérea.

“Durante décadas, o setor de aviação desenvolveu um forte histórico de práticas de segurança, resiliência e proteção de passageiros e tripulantes que tornam a aviação o meio de transporte mais seguro hoje, sendo mais seguro do que as viagens aéreas apenas andar de elevador”, afirma José Ricardo Botelho, diretor executivo e CEO da ALTA.  “A pandemia trouxe novos desafios em termos de segurança, especialmente em termos de treinamento, retomada de operações e regulamentos, entre outros, mas a chamada “agilidade do Covid” também nos  permitiu  aproveitar os recursos existentes para atendê-los rapidamente. O crescimento da indústria na região que estamos prestes a vivenciar trará seus desafios, mas temos profissionais, tecnologias e ideias prontos para atendê-los. Tenho orgulho de retomar o ALTA Pan American Aviation Safety Summit após dois anos com uma agenda de altíssimo nível, organizada pelo nosso diretor de segurança operacional, com expositores com excelente histórico e conhecimento técnico que estão comprometidos com o valioso e incansável trabalho de continuar a elevar os padrões de segurança para que mais pessoas em mais lugares possam fazer uso do meio de transporte mais seguro e eficiente”, acrescenta o CEO da ALTA. É o momento de examinar o ritmo das mudanças e se preparar para os desafios futuros enfrentados pela indústria da aviação na América Latina e no Caribe.

Os profissionais de segurança e operações da aviação são responsáveis pelo desenvolvimento de melhores práticas e normas, bem como procedimentos e diretrizes para garantir a segurança dos passageiros, da tripulação de voo e das operações terrestres. Desse princípio vem a importância desta conferência, que promove a troca de informações e boas práticas, bem como dados e estatísticas, com o objetivo de identificar os principais riscos operacionais na região e buscar medidas para minimizá-los, além de melhorar o índice de segurança na região.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn