Aeronave de Mobilidade Urbana da Embraer será testada em novembro no Rio de Janeiro

A Eve Air Mobility, da Embraer, vai iniciar no dia 8 de novembro o simulado de Mobilidade Aérea Urbana (UAM), conectando a Barra da Tijuca com o Aeroporto Internacional Tom Jobim – RIOgaleão. A iniciativa, que utilizará helicóptero neste momento, será realizada em cooperação com parceiros estratégicos e entidades governamentais. A avaliação de todo o ecossistema de UAM e os principais conceitos relacionados à experiência de uma operação futura vai ocorrer ao longo de um mês, com 6 voos diários, a um custo mais acessível que a operação de um serviço de helicóptero convencional. A simulação considera valores próximos ao que se espera no futuro para uma operação com uma aeronave elétrica de pouso e decolagem vertical (eVTOL), também conhecida no mercado como EVA (Electric Vertical Aircraft ou aeronave vertical elétrica).

A operação da aeronave na rota será feita pela Helisul Aviação, um dos maiores operadores de helicóptero da América Latina. A Universal Aviation, empresa global de serviços de atendimento aeroportuários conduzirá o operacional de solo. A concessionária RIOgaleão e o Centro Empresarial Mario Henrique Simonsen (CEMHS) completam a parceria como os pontos de origem e destino e estudos associados à experiência.

A indústria de UAM pretende democratizar o acesso do público ao novo modal de transporte aéreo por meio de inovações disruptivas e preços mais acessíveis. A aeronave da Eve, prevista para chegar ao mercado em 2026, será totalmente elétrica e foi projetada com foco nos usuários, para proporcionar um transporte eficiente e confortável, com baixo ruído e zero emissões de carbono. O simulado é parte de um conceito de operação (CONOPS) iniciado em agosto deste ano, para integrar a mobilidade aérea urbana ao espaço aéreo brasileiro, tendo início pela cidade do Rio de Janeiro. Colaboram com a iniciativa inovadora mais de 50 especialistas de 12 instituições, que estão mapeando os processos de operação e serviços, com o objetivo de identificar as necessidades dos usuários, da comunidade e demais partes interessadas. A simulação, que será acompanhada pela ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil) e o DECEA (Departamento de Controle do Espaço Aéreo), tem o apoio da Skyports, especializada em design, construção e operação de vertiportos; EDP, uma das maiores empresas do setor de energia; Beacon, plataforma da EmbraerX que conecta o ecossistema de serviços de manutenção aeronáutica e Atech, empresa responsável pelo desenvolvimento, implantação e suporte dos sistemas de controle e gestão do fluxo do tráfego aéreo (civil e militar), do Grupo Embraer.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn