Frota mundial de Super Tucano atinge mais um recorde

A Embraer anunciou hoje, durante a edição 2022 da FIDAE (Feria Internacional del Aire y del Espacio), no Chile, que a frota mundial de aeronaves A-29 Super Tucano alcançou a marca de 500 mil horas de voo. Com mais de 260 unidades entregues, a aeronave já foi selecionada por mais de 15 forças aéreas em todo o mundo, incluindo a Força Aérea dos Estados Unidos (USAF), além de vários países da América Latina, incluindo Chile, Colômbia, Equador e República Dominicana e Brasil, primeiro operador da aeronave no mundo. “Estamos muito felizes de poder compartilhar este importante marco com a Força Aérea do Chile, nosso cliente de longa da data”, disse Bosco Costa Junior, Chief Commercial Officer, Embraer Defesa e Segurança. “Além das 500 mil horas de voo, o A-29 acumula também mais de 60 mil horas em combate. De fato, é a única plataforma turboélice de ataque leve, reconhecimento e treinamento avançado atualmente em produção com atuação comprovada em combate em conflitos ao redor do mundo.”

“Desde a chegada dos primeiros exemplares destes aviões à Força Aérea Chile, em 2009, os A-29 Super Tucano têm se destacado por versatilidade operacional, robustez e custos de operação. Agradeço à Embraer por ter escolhido a FIDAE para celebrar este marco tão importante na história operacional do Super Tucano”, disse o Comandante em Chefe da Força Aérea do Chile, General Arturo Merino Núñez.

Desenvolvido para atender aos exigentes requisitos da Força Aérea Brasileira (FAB), o A-29 pode realizar uma ampla gama de missões, incluindo ataque leve, vigilância e interceptação aérea e contra-insurgência. Robusto e versátil, o A-29 tem a capacidade de operar a partir de pistas remotas e não pavimentadas em bases operacionais avançadas em ambientes hostis e com pouco suporte, tudo isso aliado a baixos custos operacionais e alta disponibilidade (superior a 90%). Outros clientes incluem Indonésia, Líbano e Filipinas. Na África, o A-29 foi escolhido por Burkina Faso, Mali, Mauritânia, Angola e, mais recentemente, Nigéria.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn