Balanço do Sindag aponta crescimento de 3,99% na frota aeroagrícola brasileira

Levantamento aponta um total de 2.280 aparelhos e País continua como o segundo maior mercado do mundo no setor

A aviação agrícola brasileira inicou o ano com 2.280 aeronaves (2.265 aviões e 15 helicópteros), segundo números divulgados pelo Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola. O resultado significa o incremento de 86 aparelhos em 2019, uma alta de 3,99 % durante o ano, o que indica também a manutenção do ritmo de crescimento do ano anterior, quando a frota havia tido um aumento de 3,74%. Entre os estados com aviação agrícola, os que tiveram maior crescimento de exemplares foram Mato Grosso, São Paulo, Pará e Rio Grande do Sul. No ranking estadual, o Mato Grosso segue na ponta, com 520 aviões. Em segundo está o Rio Grande do Sul, que conta com 436 unidades. São Paulo aparece em terceiro em frota de aviões e helicópteros, com 332 aeronaves. Entre os fabricantes de aviões agrícolas, a Embraer continua na liderança com 56,75% da frota no mercado brasileiro, com suas variantes do avião Ipanema. O Brasil segue com a segunda maior força aérea agrícola do planeta, atrás apenas dos norte-americanos, que possuem cerca de 3,6 mil aeronaves. O País está à frente ainda de potências como o México (2 mil aeronaves), Argentina (1,2 mil aeronaves), Nova Zelândia e Austrália (300 aeronaves cada), entre outras. Mais informações no portal www.sindag.org.br.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn