Aviação registra quase 300 alertas sobre balões próximos a aeroportos

Estados com maior incidência foram São Paulo, que acumulou 152 alertas, seguido do Rio de Janeiro, com 99

O Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA) registrou 295 notificações sobre avistamentos de balões próximos a aeronaves e aeroportos nos primeiros seis meses de 2017, um aumento de 33% em relação ao mesmo período do ano passado, quando ocorreram 221 registros. Os estados com maior incidência foram São Paulo, que acumulou 152 alertas, seguido do Rio de Janeiro, com 99. As entidades do setor têm ampliado cada vez mais a troca de informações e atuação conjunta para evitar que estes números continuem a subir. Os balões não tripulados, também conhecidos como balões juninos, podem chegar a pesar dezenas de quilos e carregar materiais perigosos (inflamáveis e explosivos). Apesar disso, não são detectados por radares, dificultando a identificação por pilotos e controladores de voo. Assim, eles geram riscos que envolvem desde a colisão com aeronaves até a necessidade da realização de manobras abruptas não programadas, como um desvio para evitar o impacto, pousos de precaução e arremetidas, que podem causar desconforto aos passageiros e atrasos em voo. Foto: CECOMSAER

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn