Nova Zelândia quer aumentar o volume de negócios com o Brasil

Fabricante vai comercializar o modelo P-750 STOL que já está homologado no país

Com a entrada no mercado brasileiro da fabricante Pacific Aerospace para a comercialização da aeronave P-750 XSTOL, a expectativa é de que seja incrementado o volume de negócios entre os dois países. Hoje, a Nova Zelândia é importante parceiro de negócios nos segmentos de equipamentos especializados, maquinário, lácteos, mel, ovos, produtos comestíveis de origem animal, frutos comestíveis e nozes. E importa açúcar, café e produtos farmacêuticos. Agora, quer incluir também na indústria da aviação no comércio entre os dois países. A capacidade de conexão entre centros urbanas e áreas remotas de norte a sul do país é um dos diferenciais do modelo P-750 XSTOL. Atualmente, a aviação comercial atende aproximadamente 100 cidades em todo país, mas ao todo são mais de 5 mil municípios. Para chegar a estes destinos, é preciso usar os mais de 3 mil aeródromos disponíveis, muitos deles sem asfalto, com pista curta, estreita ou irregular, restringindo o tipo de aeronave a ser usado. O modelo já está homologado no Brasil e conta com centro de serviços autorizado oferecido pela empresa Japi Aeronaves, em Jundiaí/SP. O aparelho tem preço a partir de US$ 1,65 milhão. Mais informações no portal http://www.aerie.com.br/

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn