Cirrus detalha sistema de pouso autônomo no jato Vision SF50 G2 Plus

Foi apresentada recentemente, durante coletiva de imprensa realizada no hangar da Plane Aviation, no Aeroporto de Jundiaí, a aeronave Cirrus Vision SF50 G2 Plus, da Cirrus Aircraft. O jato é considerado um avanço na aviação executiva por oferecer um sistema de inteligência artificial capaz de realizar pouso automático em casos de emergência sem interferência humana.

Durante o evento, o diretor de vendas da Cirrus Aircraft na América Latina, Ulises Mones, e o diretor da Plane Aviation, Sérgio Beneditti, apresentaram detalhes técnicos e diferenciais da aeronave, como a inclusão de Wi-Fi a bordo, o CAPS (Sistema de Paraquedas Cirrus) e o sistema Safe Return de pouso autônomo, criado para casos em que o piloto se incapacite para continuar o voo.

Para acionar o sistema basta o passageiro apertar o botão localizado no teto da cabine. Quando ativado, o Safe Return transforma a aeronave em um veículo autônomo, que se comunica com o controle de tráfego aéreo e utiliza todos os dados disponíveis na aeronave para calcular a melhor rota e opção de pouso, levando em consideração diversos fatores como as condições meteorológicas, os aeroportos mais próximos e os tipos de terreno para pouso.

“Em um voo pela Amazônia, por exemplo, onde os aeroportos são amplamente distantes, a aeronave vai analisar todos esses dados e, se não houver nenhum aeroporto próximo, ela vai concluir o voo de forma autônoma até o seu destino. O sistema Safe Return não necessariamente pousará o avião no local mais próximo, mas sim no mais seguro, levando como base todas as informações que estão à sua disposição por meio de satélites e outros dados para escolher sempre a melhor condição de segurança”, destaca Sérgio Beneditti.

Para garantir maior tranquilidade aos passageiros, o sistema também oferece atualizações visuais e auditivas como localização atual, combustível restante, aeroporto de chegada e o tempo estimado para chegar ao destino. Caso o Safe Return seja ativado acidentalmente, basta acionar novamente o botão de desconexão do piloto automático para desativá-lo.

Além do sistema de autolanding, o Vision também se destaca pelo Sistema de Paraquedas Cirrus (CAPS). Nesse caso, o acionamento do paraquedas é feito pelo próprio piloto, que avalia a necessidade de uso da tecnologia. Ao acionar o sistema, a aeronave calcula todos os dados para atingir a velocidade ideal para abertura do paraquedas. Essa tecnologia já foi utilizada mais de 200 vezes ao redor do mundo, salvando as vidas dos passageiros em 100% dos casos em outro modelo do mesmo fabricante, o Cirrus SR22.

Atualmente, há uma fila de espera de 400 clientes em todo o mundo que desejam adquirir o Cirrus Vision SF50 G2 Plus, sendo 20 no Brasil. Para dar suporte aos clientes brasileiros, a Cirrus possui um centro de vendas, um centro de treinamento para pilotos, dois centros de distribuição de peças e 26 centros de serviços autorizados pela ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil).

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn