Virgin Atlantic retira da frota o Boeing 747-400 e suspende operações em Gatwick

Companhia decidiu que voará apenas com aeronaves bimotores de corpo largo, partindo dos aeroportos de Londres/Heathrow e Manchester

A companhia aérea Virgin Atlantic anunciou planos de reformular e redimensionar seus negócios para garantir que seja adequada ao futuro, em resposta ao grave impacto da pandemia do COVID-19 no setor de viagens e aviação. Dessa forma, a empresa tomou medidas decisivas para reduzir custos, economizar dinheiro e proteger o maior número possível de empregos, além de continuar a explorar todas as opções disponíveis para obter financiamento externo adicional. A Virgin também decidiu que voará apenas com aeronaves bimotores de corpo largo, partindo dos aeroportos de Londres/Heathrow e Manchester para os destinos mais populares e mudará seu programa de voos de Gatwick para Heathrow. A companhia informou a intenção de manter seu portfólio de slots em Gatwick, para poder retornar as operações em paralelo com a demanda de passageiros. Outra medida será retirar imediatamente da frota os sete jatos Boeing 747-400, com quatro aeronaves A330-200 se aposentando no início de 2022, conforme planejado. Até lá, a frota simplificada será composta por 36 aeronaves, reduzindo as emissões de CO2 em mais 10%.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn