Venezuela proíbe voos do Panamá e da República Dominicana

 

O problema internacional, segundo o governo panamenho, resultou de uma disputa sobre frequências de voo recíprocas entre os dois países em bases equitativas. Três voos semanais da Copa eram permitidos na Venezuela, enquanto nove voos semanais para o Panamá estavam disponíveis para companhias aéreas venezuelanas.

Em 7 de dezembro, a Venezuela solicitou ao Panamá um aumento no número de voos semanais para as transportadoras nacionais, e o Panamá, por sua vez, solicitou mais voos da Copa para a Venezuela, que não aceitou e cancelou unilateralmente, sem aviso prévio ou justificativa, os três voos semanais da companhia panamenha.

Em retaliação, Panamá cancelou todos os direitos das companhias venezuelanas Turpial e Laser para operarem no Panamá, levando a um impasse que deixou os venezuelanos com menos conectividade internacional.

Uma das principais companhias aéreas que permitia conectividade global aos venezuelanos, a Copa, restabeleceu as rotas para a Venezuela em meio à pandemia de Covid-19 do Aeroporto Internacional Tocumen da Cidade do Panamá para o Aeroporto Internacional Simon Bolivar de Caracas, na Venezuela, em 24 de novembro. Foto: Copa Airlines

 

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn