SITA e Grupo Lufthansa oferecem opção sem contato para reportar e rastrear bagagens atrasadas

Dois terços dos passageiros preferem usar o serviço em vez de ir ao balcão de malas

O Grupo Lufthansa lançou uma forma completamente sem contato para os passageiros reportarem bagagens atrasadas, através de seus dispositivos móveis evitando longas filas em balcões ou escritórios lotados. Os testes iniciais da empresa de tecnologia SITA com a plataforma mostraram que a opção já provou ser popular entre os viajantes, com dois terços optando por usar esse serviço em vez de visitar um balcão de bagagem. Além de atender aos novos requisitos de higiene do COVID-19, o WorldTracer Self Service economiza em média US$ 10 para as companhias aéreas para cada bagagem extraviada relatada, eliminando a necessidade de infraestrutura adicional para gerenciar a notificação de bagagens atrasadas. Os últimos números do Relatório de Bagagem da SITA de 2020 mostram que, embora o número de malas extraviadas em todo o setor tenha caído 45,8%, de 46,9 milhões em 2007 para 25,4 milhões em 2019, o custo para o setor ainda foi de US$ 2,5 bilhões no ano passado. Após o lançamento no Aeroporto de Munique, o serviço da Lufthansa foi implantado no terminal de Frankfurt e será adotado em todo o mundo nos próximos meses. Em breve, o serviço também estará disponível para todos os passageiros da Swiss e Austrian Airlines. Usando a novidade, os passageiros podem registrar uma denúncia de perda de mala em poucos minutos, enviando seus dados de voo e bagagem em quatro etapas fáceis. Os viajantes também podem rastrear suas malas a cada etapa, desde o momento em que é recuperada até quando será levada por um mensageiro e entregue. Mais informações no portal https://www.sita.aero/ .

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn