Embraer anuncia encerramento do caso com autoridades norte-americanas e brasileiras

Fabricante tratou assunto com absoluta seriedade e colaborou plenamente com a investigação

A fabricante Embraer divulgou os termos para o encerramento do caso que vinha sendo investigado pelas autoridades norte-americanas e brasileiras. Como parte dos diferentes acordos, a empresa concordou em contratar monitoramento externo e independente, por até três anos, para acompanhar o cumprimento dos termos. Além disso, a companhia efetuará o pagamento de cerca de US$ 206 milhões às autoridades norte-americanas e brasileiras. Uma vez cumpridas as disposições acordadas, no prazo determinado, nenhuma acusação contra a empresa será formalizada. Essa investigação começou em 2010, quando a Embraer foi questionada por autoridades norte-americanas em relação a potenciais não-conformidades em certas transações comerciais no exterior. Desde então, a companhia realizou uma ampla investigação interna, conduzida de maneira independente por escritórios de advocacia externos. A Embraer sempre tratou o assunto com absoluta seriedade e colaborou plenamente com a investigação, expandindo seu escopo inicial por iniciativa própria e compartilhando as apurações com as autoridades competentes. A empresa reportou sistematicamente o progresso da investigação ao mercado, como parte de seu compromisso de divulgação de fatos relevantes aos investidores, tendo mantido as agências reguladoras no Brasil e nos EUA informadas sobre a evolução da investigação. Após seis anos de um trabalho amplo e detalhado, a investigação foi recentemente encerrada. Centenas de milhares de documentos foram analisados e mais de 100 entrevistas com funcionários e terceiros foram realizadas. As investigações, que são parte da documentação do acordo, apuraram que a empresa foi responsável por ações irregulares em quatro transações realizadas entre os anos de 2007 e 2011, na Arábia Saudita, na Índia, em Moçambique e na República Dominicana. Essas transações totalizaram a comercialização de 16 aeronaves. A Embraer reconhece responsabilidade pelos atos de seus funcionários e agentes, conforme os fatos apurados. A empresa lamenta profundamente o ocorrido. A companhia aprendeu e evoluiu com essa experiência e dará continuidade à sua trajetória de sucesso reconhecida ao longo dos seus quase 50 anos de existência, na qual entregou mais de 8 mil aeronaves ao mercado em mais de 90 países. Paralelamente, o Ministério Público Federal brasileiro vem realizando investigação própria e oferecendo denúncia no Brasil contra algumas pessoas físicas. A Embraer não é parte nessa ação penal.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn