ANAC aprova programa de treinamento operacional da TwoFlex

Autorização permite que a empresa utilize seu simulador de voo para exercícios com seus pilotos

A Agência Nacional de Aviação Civil acaba de aprovar o programa de treinamento operacional da empresa TwoFlex, que foi devidamente revisado e atualizado com as melhores práticas de mercado. A aprovação permitirá que a companhia possa realizar oficialmente parte do treinamento dos pilotos no simulador de voo recentemente adquirido. O programa, que também atende às exigências de homologação da ISSA (IATA), prevê dez horas de treinamento aos pilotos, sendo oito horas no simulador e duas nas aeronaves. O exercício no simulador permite a realização de manobras e simulação de emergência que não seriam possíveis de realizar em uma aeronave em trânsito. Desta maneira, a tripulação estará melhor preparada em relação a pilotos que não tiveram a mesma oportunidade. Instalado na base operacional da TwoFlex no Aeroporto de Jundiaí/SP, o equipamento da aeronave Cessna Grand Caravan já possui a certificação concedida pela Federal Aviation Administration e é capaz de replicar a operação de voo em sua totalidade, simulando as mais diversas condições, ocorrências e imprevistos que podem ser registrados em um voo. A empresa já atua na operação das rotas do Voe Minas Gerais, uma iniciativa promovida pela Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais (Codemig), que interliga 17 cidades mineiras, de norte a sul do estado. O programa tornou-se referência em aviação regional, possibilitando à população de municípios distantes do estado, até então sem acesso à aviação comercial, viajar para a capital e outras localidades com agilidade e a custos acessíveis. A TwoFlex ainda está em negociações com a Gol para oferecer voos complementares em vários estados brasileiros, destinados a localidades com demanda de até 30 passageiros. A empresa tem planos de adquirir mais cinco aeronaves Grand Caravan ainda no primeiro semestre de 2018, aportando um total de R$ 20 milhões. Em 2017, a empresa faturou R$ 65 milhões, 24% a mais em relação ao ano anterior. O melhor resultado se deu por conta do aumento do volume de gerenciamento de cargas. A expectativa para 2018 é atingir R$ 80 milhões de faturamento. Foto: Paulo Berger

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn