Histórica IX

Ano 44 Dez/2006


Flap Internacional cada vez mais investe na memória da aviação brasileira e, pensando nisso, preparamos esta especialíssima edição. Nos anos 1950 e 1960, o transporte aéreo de carne foi prática comum na Amazônia. Os aviões eram chamados de “carniceiros”, embora o nome venha da língua espanhola. Esses dois artigos sobre esta operação desvendam um assunto pouco conhecido até hoje. 

No início dos anos 1950, a Panair do Brasil encomendou alguns exemplares do revolucionário Comet, o primeiro jato para o transporte de passageiros projetado e construído em todo o mundo. Mas a indústria britânica, num lance de rara infelicidade, viu escorrer entre os dedos das mãos o sucesso de um mercado mundial que o Comet esteve muito próximo de conquistar. Nesta edição, o leitor saberá um pouco mais sobre esse projeto. 

A partir de 1939, às vésperas da Segunda Guerra Mundial, o Sindicato Condor, mais tarde rebatizado como Serviços Aéreos Cruzeiro do Sul, iniciou a operação comercial no Brasil de dois modernos quadrimotores fabricados em Bremen, na Alemanha. O Fw 200 era reconhecidamente o mais avançado avião de transporte de passageiros do seu tempo e o único desse tipo a voar na América do Sul. Uma história emocionante sobre esses aviões que revolucionaram a aviação brasileira. 

O Do X passou pelo Brasil em meados de 1931, durante turnê de demonstração pelas Américas. Saiba de mais detalhes nesta matéria. 

O enorme Latécoère 631 tinha o interior semelhante ao de um navio transatlântico, com cabines de passageiros e um grande bar. O avião foi projetado para servir as rotas da França para o Brasil e também para a América do Norte. Pouco conhecido, certamente sua história encantará os leitores.