Histórica XI

Ano 46 Dez/2008


Nesta edição, dando continuidade ao nosso objetivo de manter viva a história da aviação comercial brasileira, apresentamos uma série de matérias sobre empresas que não voam mais, mas que, de certa forma, marcaram época, bem como sobre o F-27, que também teve importante participação nesse contexto. 

Na matéria “As brasileiras de vida curta”, fazemos uma retrospectiva da história das empresas aéreas que surgiram no início dos anos 1990, época de “vacas gordas” para a aviação comercial brasileira e para o turismo, a maioria tipicamente charter, lembrando, inclusive, de encomendas de aeronaves que jamais foram finalizadas. 

A outra matéria, “Fim de jornada na Amazônia”, aborda a falta de recursos para incorporar novos aviões e dificuldades para cumprir cronogramas de treinamento de tripulantes e manutenção, que deixaram no chão duas companhias tradicionais da região amazônica: a Tavaj e a Penta Transportes Aéreos. 

Em seguida, com o artigo “O pioneirismo das empresas regionais brasileiras extintas” mostramos as companhias brasileiras Brasil Central, Helisul, Aparte, Atlântico, Fly Brasil, Presidente, Interbrasil Star, Gensa e LRC, que durante algum tempo realizaram vôos regulares como empresas sistemáticas ou regionais, mas que, por diversos motivos, deixaram de operar regularmente ou foram incorporadas a companhias maiores. 

Conheça a interessante história da Fly Linhas Aéreas, que pode ser considerada a pioneira das empresas aéreas low-cost/low-fare do Brasil. Fundada em 1995, teve vida curta, mas bastante atribulada. 

A Itapemirim Transportes Aéreos foi uma das melhores companhias de carga aérea do país, pioneira no seu segmento de mercado. Sua eficiência e tradição deixaram saudade. 

Apresentamos ainda a curta trajetória da Nacional, que surgiu no ano 2000 com a filosofia de baixos custos e baixas tarifas. Na prática, voou baixo e encerrou operações menos de dois anos depois. 

Intitulada “O adeus do F-27 no Brasil”, esta matéria é uma homenagem a esse avião que encerrou, com o seu último vôo comercial no Brasil, um importante capítulo da aviação comercial nacional.