Histórica XX

Ano 55 - Dez/2017


Nesta edição histórica, cuja publicação anual atinge 20 anos, estamos dando destaque às companhias aéreas que não existem mais na América do Sul. A Aerosur foi a maior empresa aérea privada da Bolívia, surgiu modestamente, operou por apenas dez anos e fechou as portas abruptamente, tendo voado durante muitos anos para o Brasil. Conheça a fascinante trajetória de 30 anos e as operações no Brasil das Líneas Aéreas Paraguayas, com sucessivas crises, problemas crônicos e uma imensa vontade de permanecer no céu. Recordamos duas empresas aéreas peruanas que já operaram no Brasil: a Apsa e sua sucessora natural, a Aeroperu. Companhias que marcaram época, por boas e más razões, como você vai descobrir agora. Também não podemos deixar de relembrar a gloriosa história do Lloyd Aéreo Boliviano, mais comumente chamado de LAB. Você vai voltar no tempo e conhecer uma empresa que foi uma das pioneiras da aviação comercial na América do Sul e suas ligações com o Brasil. As Primeras Líneas Uruguayas de Navegación Aérea são agora parte do passado. Ficam lembradas para sempre as décadas de serviços seguros e atenciosos que foram a marca registrada da companhia de bandeira uruguaia. A Transportes Regionais do Interior Paulista (Trip) saiu do zero e chegou a ser a maior regional da América do Sul. A sua história foi marcada por grandes conquistas em curto espaço de tempo, até que em 2012 foi anunciada sua fusão com a Azul Linhas Aéreas. Esta verdadeira saga de pioneirismos e ousadia é o que vamos relembrar agora. Ainda o artigo extra sobre o primeiro Jumbo francês Latécoère 631, que voaria ligando a França à América do Sul. Boa leitura!