Histórica XIX

Ano 54 - Dez/2016


A Flap Internacional que está em suas mãos é a 19ª edição histórica, especializada em levar aos leitores dados de antigamente, muitas vezes desconhecidos dos mesmos. Nesta edição prestamos uma homenagem ao Fokker 100, que teve presença marcante no Brasil. No dia 24 de novembro de 2015, a Avianca Brasil efetuou um voo especial para jornalistas para comemorar o encerramento das operações regulares do Fokker 100 em nosso país. Esse avião voou no Brasil de 1990 a fins de 2015, teve problemas de imagem numa fase, mas completou 25 anos de atividades em diferentes empresas brasileiras. Voltando um pouquinho mais ao passado, abordamos a vida do Curtiss C-46, um clássico do Brasil. O C-46 foi um bimotor de grandes dimensões para sua época, que teve uma série dos chamados problemas de dentição, ou seja, de início de projeto. Como a Segunda Guerra Mundial já estava em curso quando ele se tornou disponível, o avião começou a ser operado em missões militares antes de serem sanadas as dificuldades encontradas, provocando sérios transtornos operacionais. O C-46 foi sendo modificado ao longo do conflito para tornar-se um avião viável e acabou sendo aceito em operações comerciais, especialmente em voos cargueiros, destacando-se devido ao alto peso disponível. Poucas semanas antes do primeiro voo do Boeing 737-300 na ponte aérea, o Jornal do Brasil de 8 de setembro de 1991 publicou uma matéria no Caderno de Domingo, que reproduzimos aqui, sobre a despedida do Electra, comparando a nova era com a que se tinha ido, na opinião de passageiros e tripulantes. No fim de agosto de 1991, foi marcada a data em que o Electra deixaria realmente de voar na ponte aérea São Paulo-Rio de Janeiro. Esta é uma homenagem a esse avião que permanece na memória de muitos fãs. Para os saudosistas, uma matéria da imortal Pan American no Brasil. A aviação comercial, como hoje existe, foi inventada pela Pan American World Airways ou, simplesmente, PanAm. Uma empresa que não apenas transformou a aviação, mas o mundo em que vivemos. A história da primeira companhia aérea a ligar o Brasil à América do Norte. Em 22 de maio de 1930, a capital pernambucana foi a primeira cidade sul-americana a receber o dirigível Graf Zeppelin, em sua viagem inaugural à América do Sul. Através desse artigo, mostramos esse lado pouco conhecido da aviação comercial. Boa leitura!