Fechar

Industria



Compartilhar:

RSS

Conceito de “avião modular” com colaboração da Embraer recebe prêmio internacional de design

Conceito de “avião modular” com colaboração da Embraer recebe prêmio internacional de design

O FLEXCRAFT, um conceito de aeronave modular e pilotada remotamente, que permite reconfiguração rápida de cabine para múltiplas missões, venceu o International Design Awards (IDA), na categoria de Design de Transportes.

Com capacidade de pouso e decolagem em pistas curtas e uso de fontes alternativas de energia, o conceito busca fomentar ideias de transformação do futuro da mobilidade aérea, combinando as perspectivas humana, tecnológica, social e econômica de forma sustentável.

O IDA destacou a experiência dos passageiros por meio da flexibilidade de design das fuselagens e novas tecnologias. Entre as possibilidades estudadas para utilização estão o transporte de passageiros e carga, apoio a atividades de proteção civil, vigilância, evacuação aeromédica, agricultura, entre outros.

 

O projeto futurista foi resultado do trabalho de um consórcio português liderado pela Sociedade de Engenharia e Transformação, S.A.(SET.SA) que reuniu a Embraer Portugal, Instituto Superior Técnico (IST), Almadesign, Instituto de Ciência e Inovação em Engenharia Mecânica e Engenharia Industrial (INEGI) e apoio da Embraer SA (Brasil).

 

A iniciativa contou com financiamento do programa Portugal 2020, no âmbito do Programa Operacional Competitividade e Internacionalização através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional. “Essa premiação é um reconhecimento aos esforços, inovação e pesquisa científica da Embraer e de todos os parceiros desse projeto conceitual, que aponta oportunidades e caminhos para a transformação da mobilidade aérea futura”, disse Maurílio Albanese Novaes Júnior, Head de Desenvolvimento Tecnológico da Embraer.

 

Foto: Embraer

 



SAIBA MAIS

Aviação Civil

06/04/2021


Primeira rota regular neutra em carbono   No dia 1º de abril, a Lufthansa Cargo lançou a primeira rota de carga regular da história com impacto neutro em carbono, graças ao uso de combustíveis de aviação sustentáveis, em parceria com a empresa de logística DB Schenker. O vôo entre Frankfurt e Xangai Pudong International foi realizado por um Boeing 777F. Esse tipo de operação economizará aproximadamente 174 toneladas métricas de querosene convencional por semana. Jochen Thewes, CEO da DB Schenker, comentou: “Nossos voos semanais entre Frankfurt e Xangai são o início de uma nova era. Estamos orgulhosos de ter convencido tantos clientes deste produto com visão de futuro. Então, os negócios e a política devem assumir o controle para criar mais capacidade para combustíveis regenerativos e aviação limpa. Esse tipo de combustível sustentável é produzido principalmente a partir de resíduos de biomassa, como óleos vegetais e de cozinha usados. Desta forma, quando o combustível é queimado no motor, é liberada a mesma quantidade de dióxido de carbono que antes era removida da atmosfera durante o crescimento original das plantas. Foto: Lufthansa Cargo  


Industria

06/04/2021


Tecnologia eVTOL 'Ainda não existe'   Um executivo sênior da Airbus Helicopters expressou ceticismo na semana passada de que a aeronave de passageiros eVTOL seria colocada em operação comercial em breve. Romain Trapp, presidente da Airbus Helicopters Inc. - o braço norte-americano do fabricante de helicópteros - disse aos participantes de um webinar da Helicopter Association International (HAI) que “nós, como uma indústria, temos que aprender e esperançosamente encontraremos em algum ponto, uma tecnologia revolucionária - que não vejo hoje, aliás.” Trapp disse que pode levar “décadas” até que as aeronaves eVTOL sejam integradas a um ambiente de mobilidade aérea avançada (AAM). “O que todos nós queremos ver como uma indústria é alguma tecnologia revolucionária que nos trará um passo adiante”, ele explicou. “A tecnologia ainda não existe. O que todos queremos é poder fazê-lo com o mais alto nível de segurança, porque é disso que se trata o nosso setor. Há uma grande lacuna entre voar quando não há ninguém ao seu redor e voar em um ambiente onde há outras.” Trapp apontou os veículos experimentais Vahana e City Airbus de demonstração eVTOL da Airbus como exemplos do compromisso contínuo da empresa com a AAM. “Aprendemos muito sobre o que [eVTOL] pode e não pode fazer. Investimos muito dinheiro e continuaremos a fazê-lo”, afirmou. Quando os eVTOLs chegam ao mercado, Trapp os vê como complementares, em oposição a substituições para os helicópteros tradicionais. “Tudo de [AAM] é complementar”. Trapp disse que é improvável que os eVTOLs possam substituir os helicópteros convencionais quando se trata de certos tipos de operações, como busca e resgate. “Quando veremos uma operação de içamento com um eVTOL?” ele perguntou retoricamente. “Ainda temos um longo caminho a percorrer.” Foto: Divulgação    



Publicidade