Fechar

Industria



Compartilhar:

RSS

Coalizão pela Energia do Futuro: primeiras sete ações e três novos membros

Coalizão pela Energia do Futuro: primeiras sete ações e três novos membros

 

A Airbus apresenta as três aeronaves-conceito de emissão zero conhecidas como ZEROe. Esses conceitos incluem turbofan, turboélice e configurações de corpo de asa mista que são movidos por propulsão de hidrogênio. Todos os conceitos ZEROe são aeronaves híbridas de hidrogênio

Lançada no final de 2019, a Coalizão para a Energia do Futuro visa acelerar o desenvolvimento de energias e tecnologias futuras para sustentar novos modelos de mobilidade verde e reduzir o impacto do transporte e da logística nas mudanças climáticas. Os sete primeiros marcos a serem alcançados em ainda em 2021 são:

·         Hidrogênio verde

·         Biocombustível

·         Gás natural liquefeito de carbono neutro (LNG)

·         Eletricidade verde

·         Veículos de emissão zero para transporte rodoviário, aéreo e marítimo

·         Ecocalculadora digital da cadeia de transporte global

·         Hubs verdes intermodais

Airbus, Bureau Veritas e PSA International unem-se à Coalizão pela Energia do Futuro. Elas se juntam à AWS, Carrefour, CMA CGM Group, Cluster Maritime Français, Crédit Agricole CIB, ENGIE, Faurecia, Michelin, Schneider Electric, Total e Wärtsilä.

As 14 empresas continuarão a trabalhar juntas nos próximos meses para desenvolver novos projetos concretos que vão mais longe na luta contra as mudanças climáticas.

Foto: Airbus

 



SAIBA MAIS

Aviação Civil

23/02/2021


Colômbia poderá ter duas novas companhias aéreas este ano   O principal hub da Colômbia é o Aeroporto Internacional El Dorado, em Bogotá. Avianca e LATAM usam este aeroporto como sua porta de entrada e saída do país. No entanto, ultimamente, tem havido algum movimento para descentralizar a indústria da aviação na Colômbia. Na semana passada, a operadora de baixo custo Viva Air anunciou que iria começar a operar várias rotas internacionais a partir de seu hub em Medellín. Agora, a Starblue Airlines, recentemente pediu permissão às Autoridades de Aviação Civil da Colômbia (Aerocivil) para operar seis voos domésticos de duas cidades colombianas e cinco rotas internacionais. O dia 25 de fevereiro é a data crucial para muitos planos da aviação colombiana, pois a Aerocivil terá uma audiência pública e decidirá o futuro da Starblue Airlines e discutirá os planos da Volaris e da Viva Aerobus de entrar no mercado colombiano. As duas operadoras mexicanas de baixo custo planejam operar voos para Bogotá e Medellín. Se Ultra Air e Starblue obtiverem suas permissões para operar, a Colômbia poderia ter nove companhias aéreas domésticas antes do final do ano. Avianca e LATAM continuariam como as principais operadoras do país; seus concorrentes atualmente são Viva Air, SATENA, CGA, EasyFly e Wingo. Foto: Divulgação    


Aviação Civil

23/02/2021


Lufthansa envia mais um Airbus A380 para a França para armazenamento de longo prazo Ontem (22/02) foi mais um dia triste para a Lufthansa e os fãs do A380, já que a companhia aérea alemã despachou outro de seus A380 para armazenamento de longo prazo em Tarbes, no sudoeste da França. O avião de 9 anos partiu do aeroporto de Frankfur. Este foi o primeiro voo da aeronave desde a operação de uma missão de repatriação de Bangkok, 11 meses atrás, em 20 de março. Antes da sua parada, o D-AIMI operava cerca de 300 horas de vôo por mês para destinos como Cingapura, Los Angeles, Bangkok e Delhi. Quando a Lufthansa começou a realocar seus A380 restantes de Frankfurt há um mês, um porta-voz da companhia aérea disse que “a Lufthansa iniciará a transferência de cinco de seus Airbus A380 de Frankfurt para Teruel/Espanha ou Lourdes-Tarbes/França para economizar custos de estacionamento e armazenamento, já que atualmente as taxas em Frankfurt são mais altas do que em Teruel ou Lourdes. As outras quatro aeronaves estão programadas para serem transferidas uma a cada mês.” Foto: Divulgação    



Publicidade