Fechar

Industria



Compartilhar:

RSS

Airbus acha incerta a recuperação do transporte aéreo

Airbus acha incerta a recuperação do transporte aéreo

 

O prognóstico revisado da Airbus para este ano é que o setor aeroespacial enfrentará mais incertezas, sem perspectiva de recuperação total até entre 2023 e 2025. Reportando resultados previsivelmente deprimidos para o ano todo para 2020 ontem (18/02), o grupo europeu divulgou projeções conservadoras para 2021, com as taxas de entrega de aeronaves praticamente inalteradas.

Divulgando orientações financeiras cautelosas, o CEO da Airbus, Guillaume Faury, alertou que a indústria ainda enfrenta várias incertezas. Ele enfatizou que mesmo a recuperação antecipada de médio prazo depende "da evolução da pandemia, mas também das reações e decisões dos governos sobre as restrições de viagens", acrescentando que "temos que permanecer humildes e resilientes para proteger nossa posição competitiva. "

No ano passado, as receitas consolidadas nos negócios civil, de defesa, espacial e de segurança do grupo caíram 29% para US $ 60,2 bilhões. O lucro ajustado foi apenas um quarto do registrado em 2019.

As ondas de choque sentidas no mercado de aviação comercial foram de alguma forma absorvidas pelo melhor desempenho em seus negócios de defesa e espaço, onde a carteira de pedidos cresceu 39% ano a ano

A Airbus Helicopters também sentiu uma queda menos direta da Covid, com as receitas crescendo cerca de 4% e os lucros ajustados aumentando em quase 12%.

Foto: Divulgação

 

 



SAIBA MAIS

Aviação Civil

19/02/2021


Assista a entrevista, com o diretor da Revista Flap, Carlos Spagat, no canal PandAviation   Não deixe de assistir pelo YouTube a live 015 do canal PandAviation. É uma conversa super interessante de mais de duas horas entre Gianfranco (Panda) Beting e Carlos Spagat, fundador e Publisher da FLAP Internacional, a mais antiga revista de aviação do Brasil, com mais de 58 anos de existência e 578 edições ininterruptas. Para os fãs da aviação é um prato cheio. Uma conversa cheia de histórias, discussões e anedotas entre duas feras da aviação comercial. Assista em: https://www.youtube.com/watch?v=zaHVCNR0MZc&t=2374s  


Aviação Militar/Geral

19/02/2021


Esquadrão Falcão leva vacinas a aldeias indígenas Yanomami   Militares do Primeiro Esquadrão do Oitavo Grupo de Aviação (1º/8º GAV), Esquadrão Falcão, sediado na Ala 10, em Parnamirim (RN), operando uma aeronave H-36 Caracal, realizaram o transporte de vacinas para a população indígena em aldeias Yanomami, como parte da Operação COVID-19, deflagrada pelo Ministério da Defesa, em apoio às ações do Governo Federal para o combate à pandemia causada pelo novo Coronavírus e suas consequências. Engajadas na Operação COVID-19, equipagens (helicópteros e tripulações) do Esquadrão Falcão foram deslocadas para Surucucu (RR) desde o dia 1º de fevereiro, quando os militares passaram a transportar profissionais de saúde, vacinas e insumos médicos para atender aos povos indígenas que habitam a região montanhosa da floresta Amazônica, entre o norte do Amazonas e de Roraima e o sul da Venezuela. O objetivo dessas missões é viabilizar a assistência de saúde a esses povos que ocupam regiões de difícil acesso, locais em que apenas aeronaves de asas rotativas conseguem pousar. "As aldeias ficam em locais extremamente distantes e isolados. Muitas delas com áreas restritas para aproximação e pouso até mesmo de helicópteros. Foto: Divulgação    



Publicidade