Fechar

Industria



Compartilhar:

RSS

Embraer apóia retirada de reclamação de subsídio à OMC do Brasil

Embraer apóia retirada de reclamação de subsídio à OMC do Brasil

 

Em nota, a Embraer apoiou a decisão do Brasil de retirar uma reclamação em andamento perante a OMC (Organização Mundial do Comércio). O Brasil entrou com uma ação pela primeira vez na OMC contra o Canadá em fevereiro de 2017, citando os US$ 3 bilhões dados ao programa Bombardier C-Series como sendo subsídios ilegais que distorceram o mercado.

No entanto, o mercado mudou rapidamente desde que a queixa foi apresentada pela primeira vez contra o Canadá. A aquisição do programa C-Series pela Airbus (agora conhecido como A220) e a abertura de novas linhas de produção significou que uma decisão não teria mais efeito que a Embraer esperava.

A Embraer está agora procurando outras vias para corrigir o efeito dos subsídios. Organizações como o Entendimento do Setor de Aeronaves da OCDE (Organização Econômica de Cooperação e Desenvolvimento) podem fornecer outros meios para resolver essas disputas.

O A220 teve alguns anos fortes, com pedidos para o jato aumentando globalmente desde a aquisição do programa pela Airbus. Até hoje, a Airbus acumulou 630 pedidos do jato, incluindo compromissos importantes da Delta, JetBlue e Air France. Esse domínio crescente ameaça a posição da Embraer como líder de mercado no mercado de jatos regionais.

Foto: Divulgação

 



SAIBA MAIS

Aviação Civil

19/02/2021


Air Côte d’Ivoire recebe seu primeiro Airbus A320neo Ontem (18/02), a Air Côte d’Ivoire recebeu seu primeiro Airbus A320neo. Isso torna a transportadora com sede em Abidjan a primeira operadora do tipo na região da África Ocidental. No voo de hoje, de Toulouse para Abidjan, o jato a missão de trnasportar uma tonelada de produtos humanitários, como suprimentos médicos e brinquedos infantis. A iniciativa é uma parceria entre a Aviation sans Frontiéres e a Airbus Foundation, e parte da iniciativa de responsabilidade social corporativa (CSR) da Air Côte d'Ivoire. Após cinco horas e 38 minutos no ar, o jato pousou no Aeroporto Internacional Félix-Houphouët-Boigny, na capital da Costa do Marfim. Os espectadores puderam acompanhar o evento ao vivo e a cerimônia da entrega transmitida por meio das redes sociais da companhia aérea. Foto: Divulgação    


Industria

19/02/2021


CEO da Airbus leva a sério a concorrência do COMAC C919   O C919 da COMAC é uma aeronave que enfrentou vários obstáculos no caminho para a certificação e, recentemente, outro atraso ocorreu com os testes de congelamento, que foram adiados até o terceiro trimestre. Ontem (18/02), depois da divulgação dos resultado da Airbus, o CEO do fabricante europeu Guillaume Faury mencionou que ele levava o C919 a sério. Faury comentou que “existem muitos desafios e acho que é muito cedo para dizer até que ponto a COMAC será capaz de competir com a Boeing e a Airbus. Mas os estamos levando a sério e observando cuidadosamente o que está acontecendo por lá., pois deveria concorrer com o 737MAX e o A320neo” Apesar disso, parece que a ameaça da competição não é iminente. Faury destacou que, embora o considere um produto competitivo, “vai demorar para o C919 encontrar o seu lugar, “já vimos outros participantes em outras regiões importantes do mundo tentando entrar no mercado regional ou mesmo na aviação comercial sem sucesso.” A princípio, é improvável que o C919 seja uma competição séria para o Airbus A320neo e o Boeing 737 MAX. A Airbus e a Boeing estão bem estabelecidas no mercado, com bons relacionamentos com a maioria das companhias aéreas. Em contraste, COMAC ainda está para se estabelecer seriamente fora da China. Foto: Divulgação  



Publicidade