Fechar

Industria



Compartilhar:

RSS

Mesmo com a pandemia, Airbus entregou 560 aviões em 2020

Mesmo com a pandemia, Airbus entregou 560 aviões em 2020

 

 

O Covid-19 foi responsável pela queda da produção aeronáutica, em 2020. A gigante norte-americana Boeing entregou menos de 200 aviões no ano que passou, enquanto a Airbus conseguiu entregar 560, quase 300 menos que em 2019.

Mesmo sem ter atingido a meta que tinha previsto no início de 2020, o consórcio europeu ficou bem à frente da sua rival americana, num ano atípico que se caracterizou pelo caos nas viagens aéreas, provocado pela pandemia.

Foto: Airbus



SAIBA MAIS

Aviação Civil

04/01/2021


Balas perdidas atingem aviões da MEA Tradicionalmente, no Líbano as pessoas comemoram o ano novo atirando e chovem balas perdidas. Inúmeras pessoas, incluindo crianças, são anualmente gravemente feridas ou mortas. Não só o sofrimento humano é grande, como quatro aeronaves da MEA (Middle East Air Airlines) foram danificadas: três Airbus A321neo e um Airbus A330 foram atingidos no Aeroporto Internacional Rafic Hariri de Beirute, capital do Líbano. As equipes de manutenção tiveram que consertar os buracos antes que as aeronaves pudessem voar novamente, algo lamentável para aeronaves quase novas. Temendo esse incidente com antecedência, o diretor da Segurança Aeroportuária solicitou que o Ministério do Interior que tomasse medidas para conter os tiroteios comemorativos. Embora lamentável, é bom que o tiroteio não tenha causado danos irrevogáveis às aeronaves, mas as autoridades terão que traçar estratégias para evitar que tais incidentes ocorram no futuro. Foto:Airbus


Aviação Civil

31/12/2020


Qual será o futuro da LATAM? De acordo com “La Tercera”, um dos principais jornais chilenos, as ações da Latam Airlines, caíram de US$ 8.525 no ano passado para US$ 711 no final de maio último, estabilizando-se, agora, em US$ 1.340. A Latam Airlines, no seu melhor momento chegou a ser a maior companhia aérea da América Latina, como todas com altos custos e baixas margens de lucro, mas chegou a paralisar suas operações durante a pandemia. Quando suas ações atingiram o valor mais baixo, a dívida da empresa chegava a US$ 10 bilhões e seus proprietários decidiram entrar no Capítulo 11 da Lei de Falências, ficando a dívida suspensa pelo período de reestruturação judicial. Esta semana, a família Cueto se comprometeu a investir US$ 250 milhões. (Faz alguns dias comentamos da negativa da família Amaro de participar dessa injeção de capital). As possibilidades são muitas, mas os analistas chilenos acreditam que os acionistas, quando a empresa voltar às suas mãos, talvez no final de 2021, transformem a LATAM Airlines numa aérea menor, mas, segundo “La Tercera”, não necessariamente de baixo custo. Foto: LATAM  



Publicidade