Fechar

Industria



Compartilhar:

RSS

Viajantes brasileiros revelam suas preferências em nova pesquisa da Expedia

Viajantes brasileiros revelam suas preferÍncias em nova pesquisa da Expedia

A plataforma Expedia divulgou os resultados da nova edição de sua pesquisa de etiqueta em hotéis e aviões. No estudo, realizado em colaboração com a Northstar Research Partners, foram entrevistados viajantes de 23 nacionalidades, incluindo os brasileiros, e o resultado mostra o que os agrada e desagrada quando estão longe de casa. A pesquisa serve ainda de referência para que hotéis e empresas aéreas saibam em que aspectos de seu negócio eles devem prestar mais atenção para deixar seus clientes satisfeitos. O estudo revela que os brasileiros fizeram em média, 6,1 viagens de avião no ano passado. No mesmo período, eles ficaram 14,4 noites hospedados em hotéis. Uma das tendências mostradas é a dependência cada vez maior da tecnologia nas viagens. O Wi-Fi é a amenidade hoteleira mais valorizada pelos brasileiros, citado como importante por 97% do total. É também o item considerado mais importante na hora de efetuar a reserva, empatado com preço e localização (todos citados por 96% dos respondentes). Já é alto também o número de brasileiros que resolvem toda a sua viagem pelo smartphone. Do total, 77% citaram como “muito provável” ou “extremamente provável” que usem o aparelho para reservar um voo, e 80% deram as mesmas respostas em relação aos hotéis. Das 23 nacionalidades pesquisadas, apenas os indianos se mostraram mais dispostos do que os brasileiros a usar a tecnologia nesses momentos. Nada irrita mais os brasileiros do que tarifas inesperadas. Esse item foi citado por 44% deles como o que os deixa mais estressados em uma hospedagem, bastante à frente dos demais. Mudanças inesperadas no itinerário (17%) e a impossibilidade de remarcar ou cancelar uma reserva (14%) sem pagar também foram citadas. Por outro lado, agrada aos viajantes do país, além de ter a tecnologia à disposição, poder usar o frigobar para armazenar seus alimentos e bebidas (citado como importante por 96% do total), ter um serviço de quarto de qualidade (94%) e encontrar bar e restaurante de acordo com o prometido pelo hotel ao fechar a reserva (92%). Para os brasileiros, 80% preferem o assento da janela, enquanto 15% costumam escolher o do corredor e 4% o do meio. Mais uma vez, somente os indianos têm um comportamento mais extremado, com 84% preferindo a janela. Na média internacional, 63% dos passageiros dão preferência a esse assento, e Cingapura é o único país em que há mais viajantes que preferem o corredor (53%). Passageiros bêbados são os mais indesejados pelos brasileiros, citados por 46% como irritantes. Já os viajantes “aromáticos”, seja por descuidarem da higiene ou por usarem perfume forte, foram citados por 38%, assim como os chutadores de assentos. Pais desatentos também são lembrados aqui, com 26% de citações. Para mais informações, acesse o portal www.expediagroup.com.



SAIBA MAIS

Industria

12/10/2018


Helibras entrega dois helicópteros H135 para a Líder Aviação A fabricante Helibras anunciou a entrega de dois helicópteros H135 para a empresa Líder Aviação. A assinatura do contrato aconteceu no início do segundo semestre deste ano e contempla o fornecimento dos aparelhos configurados para operações de offshore como transporte de passageiros e missões de evacuações médicas no mercado Oil & Gas.


Industria

12/10/2018


Passageiros querem mais informações, automação, controle e privacidade A Associação Internacional de Transporte Aéreo anunciou os resultados de sua Pesquisa Global de Passageiros (GPS) de 2018, que mostrou que os viajantes buscam novas tecnologias para lhes dar mais controle, informações e melhorar a eficiência quando viajam. Com base em 10.408 respostas de 145 países, a pesquisa forneceu informações sobre o que os passageiros gostariam de ter com sua experiência de viagem aérea.


Industria

12/10/2018


Tarifa aérea doméstica teve redução de 3,9% no segundo trimestre do ano De acordo com o relatório publicado pela Agência Nacional de Aviação Civil, o preço médio da tarifa no segundo trimestre do ano (atualizada pela inflação) foi de R$ 321,78. O valor representa uma redução de 3,9% em relação ao mesmo período do ano passado, quando ficou em R$ 334,84. Este é o quarto ano seguido em que o indicador do segundo trimestre apresenta redução no preço médio. No acumulado do primeiro semestre do ano, o preço médio da tarifa aérea ficou em R$ 342,94, registrando um aumento da ordem de 1,5% em relação ao mesmo período do ano passado, quando a tarifa média fechou em R$ 337,84.



Publicidade