Fechar

Industria



Compartilhar:

RSS

Helicópteros da Rússia projeta aumento nos negócios com o Brasil

Helicópteros da Rússia projeta aumento nos negócios com o Brasil

A previsão de analistas de um aumento de até 20% na demanda global por helicópteros nos próximos cinco a dez anos e o tamanho do mercado brasileiro, cerca de 37% da frota de todo o continente americano, levaram a holding Helicópteros da Rússia a acelerar seus projetos de expansão no Brasil. Parte integrante da corporação estatal Rostec, a fabricante entregou à ANAC a documentação técnica e operacional do helicóptero Mi-17A2. Desde 2000, a Rússia já entregou 16 exemplares de diferentes modelos para o Brasil. Segundo a empresa, o Brasil tem alta procura por helicópteros multifunção de porte médio e o modelo traz para o mercado local uma nova e moderna opção, espaçosa e confiável pois oferece uma gama alta que é importante para um país onde as máquinas operam ativamente em áreas remotas. Ao mesmo tempo, no âmbito de parceria internacional, a companhia pretende desenvolver o serviço pós-venda, que garante o máximo de recursos operacionais e que é uma condição necessária para a segurança de voo. Há mais de dez anos, os helicópteros Mi-171A1 operam com sucesso no país. Caso as perspectivas de crescimento econômico da América Latina se confirmem, a expectativa dos analistas é de que haja um aumento de 13 a 15% na participação do continente no mercado de helicópteros, com capacidade de demanda em dez anos estimada entre 1.500 e 1.650 novas aeronaves. A tendência a uma recuperação do setor de Óleo e Gás no Brasil permite que se estime aumento anual de demanda de duas a quatro aeronaves, em período de dois a três anos. Em 2005, o helicóptero Mi-171A1, otimizado para as exigências dos operadores comerciais europeus e os regulamentos de aviação FAR-29, recebeu aprovação do certificado de tipo no Registro Aeronáutico Brasileiro. Durante o seu desenvolvimento, foi dada atenção especial às questões de segurança. No mesmo ano, o primeiro aparelho do tipo  foi entregue ao Brasil. Baseado neste modelo, foi apresentada a versão Mi-171A2. Mais de 80 mudanças foram feitas no design e o helicóptero é equipado com motores VK-2500PS-03 (uma versão civil de motores instalados em helicópteros de combate Mi-28) com sistema de controle digital. O aparelho também está equipado com um rotor de cauda X mais eficiente e um novo rotor principal com lâminas totalmente feitas de material composto e design aerodinâmico melhorado. Em agosto de 2017, o modelo recebeu da Agência Federal de Transporte Aéreo da Federação Russa um certificado de tipo da categoria "A", que prevê a implementação dos mais rigorosos requisitos de segurança para helicópteros civis.



SAIBA MAIS

Industria

12/10/2018


Helibras entrega dois helicópteros H135 para a Líder Aviação A fabricante Helibras anunciou a entrega de dois helicópteros H135 para a empresa Líder Aviação. A assinatura do contrato aconteceu no início do segundo semestre deste ano e contempla o fornecimento dos aparelhos configurados para operações de offshore como transporte de passageiros e missões de evacuações médicas no mercado Oil & Gas.


Industria

12/10/2018


Passageiros querem mais informações, automação, controle e privacidade A Associação Internacional de Transporte Aéreo anunciou os resultados de sua Pesquisa Global de Passageiros (GPS) de 2018, que mostrou que os viajantes buscam novas tecnologias para lhes dar mais controle, informações e melhorar a eficiência quando viajam. Com base em 10.408 respostas de 145 países, a pesquisa forneceu informações sobre o que os passageiros gostariam de ter com sua experiência de viagem aérea.


Industria

12/10/2018


Tarifa aérea doméstica teve redução de 3,9% no segundo trimestre do ano De acordo com o relatório publicado pela Agência Nacional de Aviação Civil, o preço médio da tarifa no segundo trimestre do ano (atualizada pela inflação) foi de R$ 321,78. O valor representa uma redução de 3,9% em relação ao mesmo período do ano passado, quando ficou em R$ 334,84. Este é o quarto ano seguido em que o indicador do segundo trimestre apresenta redução no preço médio. No acumulado do primeiro semestre do ano, o preço médio da tarifa aérea ficou em R$ 342,94, registrando um aumento da ordem de 1,5% em relação ao mesmo período do ano passado, quando a tarifa média fechou em R$ 337,84.



Publicidade