Fechar

Industria



Compartilhar:

RSS

Airbus continua investindo em materiais compostos para moldar o futuro aeroespacial

Airbus continua investindo em materiais compostos para moldar o futuro aeroespacial

Os materiais compostos foram definidos como forma de futuro aeroespacial devido a sua combinação de alta resistência, baixo peso e durabilidade. Por mais de 30 anos, a fabricante europeia Airbus foi pioneira no uso de tais materiais em seus aviões comerciais, desde o estabilizador vertical do A310 até o A350 XWB atual em que mais de metade da estrutura da aeronave é produzida com estes componentes. Em essência, um material composto é feito de dois ou mais materiais constituintes com diferentes propriedades físicas ou químicas. Quando combinados, exibem características físicas benéficas bastante diferentes do que os componentes individuais podem fornecer. Compostos comumente reconhecidos na vida cotidiana incluem madeira compensada e concreto armado. Do nariz à cauda, ​​a Airbus utiliza compósitos avançados em sua linha de produtos de aviação que tem estado na vanguarda da ciência dos materiais. Um componente destacado especial é o plástico reforçado com fibra de carbono, ou CFRP. Composto de fibras de carbono travadas no lugar com uma resina de plástico, o CFRP oferece uma relação força-peso melhor do que os metais e tem menos sensibilidade à fadiga e à corrosão. Em suma, é mais leve que o alumínio, mais forte do que o ferro e mais resistente à corrosão do que os dois. Como todos os compósitos, a força do CFRP resulta da interação entre seus materiais componentes. Por si só, nem as fibras de carbono nem a resina são suficientes para criar um produto com as características desejadas a serem integradas em uma aeronave. Mas, uma vez combinados em múltiplas camadas integradas e ligadas, o componente ou estrutura de CFRP assume a força e propriedades de suporte de carga que o tornam ideal para o uso da aviação. A utilização de plástico reforçado com fibra de carbono atingiu novas proporções com o jato A350 XWB, que possui uma aplicação significativa de compósitos em toda parte. Por exemplo, a maior parte da asa é constituída por compósitos de carbono leves, incluindo suas capas superiores e inferiores. Medindo 32 metros de comprimento por seis metros de largura, estas estão entre as maiores peças de aviação já fabricadas a partir de fibra de carbono. Com o CFRP, não só a estrutura do avião é mais rígida e resistente, a redução de peso permite transportar mais passageiros, queimar menos combustível e voar mais longe. Embora inicialmente mais caro de produzir do que peças metálicas tradicionais, os componentes do CFRP podem economizar dinheiro dos operadores de aeronaves em futuros custos de manutenção, uma vez que o material não enferruga ou corroe. Um A350 XWB requer 50% menos tarefas de manutenção de estrutura e o limite para verificações dos componentes é de 12 anos em comparação aos oito para o modelo A380. Mais informações no portal www.airbus.com.

SAIBA MAIS

Industria

19/05/2017


Airbus testa os principais controles da aeronave com o equipamento Iron Bird Muito antes de um avião da fabricante europeia Airbus decolar para o primeiro voo, a operação impecável de seus controles elétricos, hidráulicos e de voo é meticulosamente confirmada com a ajuda de um equipamento de teste gigante apelidado de "Iron Bird". 


Industria

17/05/2017


Jato comercial COMAC C919 realiza primeiro voo A fabricante chinesa COMAC anunciou que o modelo C919 realizou o seu primeiro voo com duração de cerca de 80 minutos no último dia 5 de maio, partindo do Aeroporto Internacional de Pudong, em Xangai. 


Industria

17/05/2017


Luzes externas de um avião são de vital importância durante a operação A equipe de luzes exteriores da fabricante europeia Airbus baseada em Getafe, na Espanha, estabelece requisitos para os fornecedores da indústria para projetar e fabricar a iluminação das aeronaves garantindo o funcionamento correto em todas as condições, incluindo temperaturas muito frias em altas altitudes e altas temperaturas em climas quentes e as vibrações encontradas durante um voo típico. 


Industria

19/05/2017


Ministério dos Transportes planeja a compra de equipamentos para acessibilidade A Secretaria Nacional de Aviação Civil do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil realizou a primeira reunião do grupo de trabalho que vai auxiliar no processo de elaboração de Termo de Referência para a aquisição e entrega de rampas de acesso a aeronaves para atender os passageiros com necessidade de atendimento especial (PNAE).



Publicidade