Fechar

Aviação Militar/Geral



Compartilhar:

RSS

Coreia do Sul quer helicópteros de ataque, caça-minas e mais JDAM

Coreia do Sul quer helicópteros de ataque, caça-minas e mais JDAM

 

A agência de compras militares da Coréia do Sul - a Defense Acquisition Program Administration (DAPA) - disse que pretende adquirir mais 36 helicópteros de ataque "classe Apache" do exterior. A aquisição planejada se soma a uma série de outras de serviços aéreos, terrestres e marítimos, incluindo helicópteros de remoção de minas e munições guiadas por GPS.

Além de seu programa de mísseis guiados KDX-III Batch-II, a DAPA quer reforçar o lote inicial de 36 Boeing AH-64E Apache Guardians do Exército da República da Coreia (ROKA), adquiridos em 2016/17, com outros 36 helicópteros de ataque entre 2022 e 2028. Eles aumentarão as capacidades do ROKA em “manobras ofensivas” e permitirão a retirada do Bell AH-1S Cobra. O programa vale $ 2,8 bilhões, e funcionários do DAPA disseram ao Yonhap News que o orçamento aumentou devido à inflação e à “adição necessária de alguns equipamentos e instalações”. Embora o DAPA não tenha especificado o AH-64E, ele se destaca como o líder óbvio devido à sua semelhança com a frota existente.

A DAPA também pretende desenvolver um helicóptero de varredura de minas com empresas e tecnologias nacionais, e um funcionário disse que o governo investirá cerca de US $ 751 milhões de 2022 a 2030 em uma plataforma baseada na versão marinha do utilitário KUH-1 da Korea Aerospace Industries (KAI).

Foto: Divulgação



SAIBA MAIS

Aviação Civil

05/04/2021


Paranair volta a operar no Aeroparque   No sábado (03/04), pousou no Aeroporto Jorge Newbery o primeiro voo da Paranair em dois anos. A empresa paraguaia operava anteriormente 100% de suas operações em Buenos Aires em Ezeiza, mas até março de 2019, a Paranair voava para o Aeroparque. A princípio, a empresa planejava iniciar os voos para lá no dia 26 de março, mas por questões operacionais adiou até sábado, 3 de abril. Como consequência das restrições, a Paranair terá, por enquanto, uma frequência semanal entre as capitais do Paraguai e da Argentina. Até o final de março a empresa operava 7 voos por semana, enquanto há 20 dias tinha 15 frequências semanais. Foto: Divulgação  


Aviação Civil

05/04/2021


Singapore Airlines é agora a maior operadora de Airbus A350     Em 2 de abril, três A350s novos deixaram Toulouse, França, e voaram durante a noite, indo direto para Cingapura, onde se juntaram à frota da Singapore Airlines. As três novas aeronaves registradas 9V-SHT, 9V-SHU e 9V-SHV têm a honra de ingressar na maior frota de A350 do mundo. A Singapore Airlines agora tem um total de 55 A350 em sua frota, e quase todos estão em serviço ativo. A companhia aérea tem apenas 86 aeronaves em operação, pois a demanda continua baixa. Dos 86 que atualmente voam regularmente, 51 são A350, o que significa que 60% de sua frota ativa são agora A350. De sua frota total de 136 aeronaves, 41% são A350. A companhia aérea ainda tem mais pedidos. O número de A350 entregues às companhias aéreas de Cingapura significa que eles têm uma entrega média de um por mês desde que recebeu a aeronave pela primeira vez em 2016. Isso significa que para cada sete A350 no céu, um deles será uma aeronave da Singapore Airlines. A companhia aérea investiu pesadamente no tipo, tornando-o a espinha dorsal de sua frota. Ela está usando o A350 para substituir sua frota envelhecida de Boeing 777s e Airbus A330s. Ao receber a entrega de seu primeiro A350-900, o CEO, Sr. Goh Choon Phong, comentou: “O A350 é um elemento chave em nossa estratégia geral de crescimento de capacidade e renovação de frota. Sua maior eficiência operacional nos oferece a oportunidade de abrir ainda mais novas rotas.” Foto: Divulgação    



Publicidade