Fechar

Aviação Militar/Geral



Compartilhar:

RSS

A Guarda Costeira do Japão adiciona dois H225

A Guarda Costeira do Japão adiciona dois H225

 

A Guarda Costeira do Japão (JCG) expandirá sua frota com dois novos helicópteros H225, elevando sua frota Super Puma para 17, compreendendo dois AS332 e 15 H225. A maior operadora Super Puma no Japão recebeu seu décimo H225 em fevereiro deste ano. Os novos helicópteros irão se juntar à sua frota crescente para apoiar atividades costeiras territoriais, fiscalização da segurança, bem como missões de alívio de desastres no país.

“Desde a primeira entrega do Super Puma, há quase 30 anos, até os últimos pedidos do H225, apreciamos muito a confiança contínua da Guarda Costeira do Japão em nossos produtos e serviços”, disse Guillaume Leprince, Diretor Administrativo da Airbus Helicopters no Japão. “Este pedido H225 repetido reforça a posição da aeronave como uma referência em operações SAR e fiscalização de segurança. Estamos orgulhosos de como a implantação da frota da agência garantiu o sucesso da missão ao longo dos anos. A Airbus continuará garantindo a alta disponibilidade da frota, em apoio às operações seguras da agência.”

Quase 30 helicópteros da família Super Puma voam atualmente no Japão por operadores civis, parapúblicos e pelo Ministério da Defesa do Japão para várias missões de busca e resgate, VIP, combate a incêndio e transporte de passageiros e mercadorias.

Foto: Airbus

 



SAIBA MAIS

Aviação Executiva

29/03/2021


Bombardier entrega o 50º Global 7500   A Bombardier entregou o 50º Global 7500, marcando um amadurecimento na produção do bijato de alcance ultralongo que é a pedra angular para o futuro da empresa. Anunciada hoje, a entrega do marco ocorre um pouco mais de dois anos depois que a aeronave entrou em serviço no final de 2018 e segue um ano em que a Bombardier entregou 35 unidades do modelo, incluindo 16 apenas no quarto trimestre. O presidente e CEO da Bombardier, Éric Martel, chamou o Global 7500 de “carro-chefe da indústria e um impulsionador fundamental de nossa estratégia de crescimento”. Ele acrescentou: “O calibre de mão de obra e tecnologia encontrados em cada aeronave continua a impulsionar a forte demanda do mercado e o reconhecimento de toda a indústria. A Bombardier disse que o interesse mundial e a atividade do mercado permaneceram fortes para a aeronave de 14.260 km. A frota em serviço atingiu uma taxa de confiabilidade de despacho de 99,7% e marcou vários recordes de velocidade e distância, incluindo o mais longo par de cidades pilotado por uma aeronave executiva especialmente construída, ligando Sydney, Austrália e Detroit. Os executivos esperam que os custos de produção caiam 20% em relação às próximas 50 aeronaves. “Já alcançamos uma redução de 40 por cento” nas primeiras 50 aeronaves, a maior parte derivada dos custos de mão de obra envolvidos com a curva de aprendizado da construção, disse Martel. “O programa continua amadurecendo conforme planejado. Muitas das dores iniciais típicas de crescimento e riscos de crescimento foram deixados para atrás.” Foto: Divulgação  


Aviação Civil

29/03/2021


Gol: primeira aérea certificada por maior performance na nova pista de Congonhas   Com a reforma executada pela Infraero no ano passado (setembro/2020), Congonhas tem agora uma pista com mais capacidade de drenagem (rápido escoamento da água de chuva) e maior aderência para os pneus das aeronaves. Foram feitas a fresagem do revestimento asfáltico antigo, a execução de camada estrutural de concreto asfáltico (CBUQ) com grooving (ranhuras na pista) na região das cabeceiras; e aplicação de camada superficial porosa de atrito (CPA), bem como a sinalização horizontal. A Infraero, por meio do Ministério da Infraestrutura, investiu R$ 11,5 milhões na modernização da pista. Os trabalhos contaram com a contribuição das companhias aéreas, Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear), Associação Brasileira de Aviação Geral (ABAG) e demais entes públicos relacionados, como Departamento de Controle do Espaço Aéreo (Decea), Secretaria de Aviação Civil do Ministério da Infraestrutura e Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).  Foto: Divulgação        



Publicidade