Fechar

Aviação Militar/Geral



Compartilhar:

RSS

FAB atinge 350 horas de voo em apoio ao estado do Amazonas na Operação COVID

FAB atinge 350 horas de voo em apoio ao estado do Amazonas na Operação COVID

 Aeronaves da Força Aérea Brasileira (FAB) cumpriram, nesta terça-feira (19) e quarta-feira (20), missões de apoio à Operação COVID-19. Foram transportados pacientes, tanques de oxigênio líquido, cilindros de oxigênio e equipamentos para o combate ao novo Coronavírus.

Um KC-390 Millennium carregou na madrugada desta quarta (20), em Brasília (DF), com dez tanques de oxigênio líquido com destino a Manaus (AM). Ainda durante a madrugada, um C-130 decolou do Rio de Janeiro (RJ) transportando materiais hospitalares, gerador de energia, medicamentos, usina de oxigênio e cilindros de oxigênio. Já um C-105 Amazonas vou de Belém (PA) para Manaus (AM), às transportando respiradores e monitores.

 

O Comandante do C-130 Hércules, do Primeiro Esquadrão do Primeiro Grupo de Transporte (1°/1° GT) – Esquadrão Gordo, Capitão Aviador Hugo Leonardo Oliveira Vaz, comentou sobre o cumprimento da missão. “É muito gratificante colocar em prática todo o nosso treinamento em um momento de dificuldade para o povo brasileiro. Atuar no combate à pandemia é um marco na carreira de todos os tripulantes. Continuaremos incansavelmente enquanto for necessário", destaca. 

 

Por meio do Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE), a FAB cumpre as missões que têm como objetivo minimizar os impactos no sistema de saúde da capital amazonense. O Transporte Aéreo Logístico da FAB integra as ações da Operação COVID-19, acionada pelo Ministério da Defesa, em atendimento às demandas do Ministério da Saúde. 

Foto: SISCOMSAE 



SAIBA MAIS

Aviação Civil

21/01/2021


Air Canada voltará a voar com 737 MAX     A companhia aérea canadense anunciou que voltará a voar com seus Boeing 737 MAX a partir de 1º de fevereiro. “Estamos muito confiantes de que o processo regulatório de quase dois anos realizado pela Transport Canada e outras agências ao redor do mundo garante a segurança máxima para a frota do Boeing 737 MAX. Como parte da abordagem da Air Canada para aprimorar a segurança, nossos especialistas internos também trabalharam com especialistas independentes para realizar testes da aeronave e nossos procedimentos operacionais”, disse o capitão Murray Strom, vice-presidente de operações de voo da Air Canada. O executivo garantiu ainda que a Air Canada foi além de implementar as atualizações e modificações necessárias, dotando sua frota de medidas de segurança adicionais que excedem as exigidas pelas autoridades. Foto: Divulgação      


Aviação Militar/Geral

21/01/2021


Emirados Árabes Unidos e os Estados Unidos chegam a um acordo sobre a venda de jatos F-35 Os Emirados Árabes Unidos assinaram um acordo para a compra de até 50 caças F-35 e 18 drones MQ-9 Reaper dos Estados Unidos. O acordo foi um dos atos finais do governo Trump, ocorrendo apenas uma hora antes da posse do presidente Joe Biden. O acordo define o custo da aeronave, as especificações técnicas e o cronograma de entregas do F-35 aos Emirados Árabes Unidos. Não foi confirmado quando o primeiro F-35 deve ser entregue em Abu Dhabi, mas afirmaram que uma proposta inicial estipulava 2027 como uma data possível. Inicialmente, o negócio com os Emirados Árabes Unidos foi estimado em US$ 23,37 bilhões, incluindo 50 caças F-35A no valor de US$ 10,4 bilhões, 18 drones MQ-9B no valor de US$ 2,97 bilhões e US$ 10 bilhões em munições ar-ar e ar-solo, mas esses valores devem mudar durante as negociações com a Lockheed Martin fabricante do F-35 e a General Atomics, que fabrica o MQ-9. Antony Blinken, escolhido para secretário de Estado por Joe Biden disse a jornalistas, no final do ano passado, que a venda é "algo que olharíamos com muito, muito cuidado", devido às obrigações dos EUA de preservar a vantagem militar qualitativa de Israel. Foto: Boeing  



Publicidade