Fechar

Aviação Militar/Geral



Compartilhar:

RSS

Saab recebe encomenda adicional para o GlobalEye

Saab recebe encomenda adicional para o GlobalEye

 

A sueca Saab recebeu um contrato adicional (o original havia sido assinado em 2015) dos Emirados Árabes Unidos para a venda de dois sistemas GlobalEye, o sistema avançado de vigilância aerotransportada da Saab. O valor do pedido é de US$ 1,018 bilhão e o período do contrato é 2020-2025.

A GlobalEye fornece vigilância aérea, marítima e terrestre simultânea. Ele combina tecnologia de radar sofisticada com a aeronave Global 6000 de alcance ultralongo da Bombardier.

“Estamos orgulhosos que os Emirados Árabes Unidos continuem a mostrar grande confiança na Saab e em nossas soluções. Isso mostra que a Saab permanece na vanguarda em termos de tecnologia avançada. O programa GlobalEye está funcionando de acordo com o planejado e temos uma cooperação eficiente com o cliente”, afirma Micael Johansson, Presidente e CEO da Saab.

Foto: Divulgação



SAIBA MAIS

Industria

04/01/2021


Mesmo com a pandemia, Airbus entregou 560 aviões em 2020   O Covid-19 foi responsável pela queda da produção aeronáutica, em 2020. A gigante norte-americana Boeing entregou menos de 200 aviões no ano que passou, enquanto a Airbus conseguiu entregar 560, quase 300 menos que em 2019. Mesmo sem ter atingido a meta que tinha previsto no início de 2020, o consórcio europeu ficou bem à frente da sua rival americana, num ano atípico que se caracterizou pelo caos nas viagens aéreas, provocado pela pandemia. Foto: Airbus  


Aviação Civil

07/01/2021


Ryanair reduzirá voos em janeiro para lidar com a queda da demanda   A companhia aérea irlandesa de baixo custo Ryanair informou que reduzirá sua programação de voos a partir do próximo dia 21 de janeiro, em resposta à queda na demanda causada pelas novas restrições. As medidas decretadas esta semana no Reino Unido, Irlanda e num "número reduzido" de países europeus vão provocar uma queda acentuada no tráfego de passageiros em janeiro, fevereiro e março, o que obrigará reduzir a programação de voos. A Ryanair espera transportar menos de 1,25 milhão de usuários em janeiro, enquanto esse número pode cair para 500.000 em fevereiro e março devido ao impacto dos bloqueios destinados a conter a terceira onda de coronavírus. “Como resultado, a Ryanair irá reduzir significativamente sua programação de voos a partir de quinta-feira, 21 de janeiro, o que significa que menos ou até mesmo nenhum voo será operado de ou para a Irlanda ou Reino Unido. Foto: Divulgação  



Publicidade