Fechar

Aviação Executiva



Compartilhar:

RSS

Bombardier confirma a VistaJet como cliente para o pedido de 10 aeronaves Challenger 350

Bombardier confirma a VistaJet como cliente para o pedido de 10 aeronaves Challenger 350

 

A Bombardier confirmó que a operadora mundial de frotas VistaJet é o cliente de um pedido firme divulgado anteriormente de 10 jatos executivos Challenger 350. Foi uma das maiores encomendas de jatos de 2020.

VistaJet, um cliente de longa data da Bombardier, também recebeu seus dois primeiros jatos executivos Global 7500. A aeronave eleva a experiência do passageiro com uma viagem mais tranquila e uma verdadeira cabine de quatro zonas projetada para ser uma casa e um escritório nos céus. A Bombardier celebrou recentemente o marco da 50ª entrega dessa aeronave incomparável, que tem o maior alcance entre os jatos executivos.

A VistaJet, empresa líder global de aviação executiva, disse em um comunicado à imprensa divulgado hoje que seu pedido firme de 10 jatos executivos Challenger 350 é uma resposta a "uma demanda crescente e urgente" no segmento de super midsize. A aeronave mais vendida Bombardier Challenger 350 representa o pacote total de desempenho e experiência de cabine. É o jato executivo ideal para responder ao crescente interesse pela aviação privada em meio a uma pandemia mundial.

Éric Martel, presidente e CEO da Bombardier, disse: "Estamos extremamente orgulhosos de nossa parceria de longa data com a VistaJet e estamos entusiasmados por eles terem escolhido novamente as aeronaves da Bombardier para apoiar seus planos de expansão de frota. Com desempenho e conforto incomparáveis”.

Thomas Flohr, fundador e presidente da VistaJet, disse: “É um momento incrivelmente empolgante, pois o VistaJet transforma a arquitetura de como as empresas e os indivíduos voam. Continuamos vendo uma rápida aceleração de novos membros, impulsionada pela demanda corporativa e executiva por nossas ofertas de mobilidade empresarial. As redes globais de aviação privada serão ainda mais vitais para apoiar as empresas e a economia”.

Foto: Divulgação

 



SAIBA MAIS

Industria

06/04/2021


Conceito de “avião modular” com colaboração da Embraer recebe prêmio internacional de design   O FLEXCRAFT, um conceito de aeronave modular e pilotada remotamente, que permite reconfiguração rápida de cabine para múltiplas missões, venceu o International Design Awards (IDA), na categoria de Design de Transportes. Com capacidade de pouso e decolagem em pistas curtas e uso de fontes alternativas de energia, o conceito busca fomentar ideias de transformação do futuro da mobilidade aérea, combinando as perspectivas humana, tecnológica, social e econômica de forma sustentável. O IDA destacou a experiência dos passageiros por meio da flexibilidade de design das fuselagens e novas tecnologias. Entre as possibilidades estudadas para utilização estão o transporte de passageiros e carga, apoio a atividades de proteção civil, vigilância, evacuação aeromédica, agricultura, entre outros.   O projeto futurista foi resultado do trabalho de um consórcio português liderado pela Sociedade de Engenharia e Transformação, S.A.(SET.SA) que reuniu a Embraer Portugal, Instituto Superior Técnico (IST), Almadesign, Instituto de Ciência e Inovação em Engenharia Mecânica e Engenharia Industrial (INEGI) e apoio da Embraer SA (Brasil).   A iniciativa contou com financiamento do programa Portugal 2020, no âmbito do Programa Operacional Competitividade e Internacionalização através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional. “Essa premiação é um reconhecimento aos esforços, inovação e pesquisa científica da Embraer e de todos os parceiros desse projeto conceitual, que aponta oportunidades e caminhos para a transformação da mobilidade aérea futura”, disse Maurílio Albanese Novaes Júnior, Head de Desenvolvimento Tecnológico da Embraer.   Foto: Embraer  


Aeroportos

06/04/2021


Governo leiloará amanhã infraestrutura de 22 aeroportos   Marcado para 10h desta quarta-feira (07/04), o certame da concessão dos 22 aeroportos tem previsão de R$ 6 bilhões de investimento. A divisão será feita em três blocos. O bloco Norte tem sete aeroportos: Manaus (AM), Porto Velho (RO), Rio Branco (AC), Cruzeiro do Sul (AC), Tabatinga (AM), Tefé (AM) e Boa Vista (RR), com lance mínimo de R$ 47,8 milhões. Já o Central tem seis aeroportos: Goiânia (GO), São Luís (MA), Teresina (PI), Palmas (TO), Petrolina (PE) e Imperatriz (MA), por um valor inicial de R$ 8,146 milhões. Por fim, o Sul é o maior e mais caro, com nove aeroportos que ficam na região sul do país: Curitiba (PR), Foz do Iguaçu (PR), Navegantes (SC), Londrina (PR), Joinville (SC), Bacacheri (PR), Pelotas (RS), Uruguaiana (RS) e Bagé (RS). O lance mínimo é de R$ 130 milhões. Essas unidades representam 11% do tráfego aéreo de passageiros, segundo a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil). Antes desse leilão, 67% do tráfego nacional já estava nas mãos da iniciativa privada. Fonte: Divulgação    



Publicidade