Fechar

Aviação Executiva



Compartilhar:

RSS

Airbus A321neo da Titan, repintado para o governo do Reino Unido

Airbus A321neo da Titan, repintado para o governo do Reino Unido

O jato VIP Airbus A330 (foto), conhecido 'Boris Force One', ganhou um irmão menor. Um Airbus A321LR foi pintado com uma réplica perfeita da pintura que adorna o RAF Voyager, prefixo ZZ336 e deve iniciar as operações da Royal Air Force em breve.

É provável que o A321LR seja usado para visitas oficiais que têm um alcance mais curto e requerem menos pessoal. O Voyager, continuará sendo a aeronave de escolha para operações de longo curso, além de cumprir suas funções normais do dia-a-dia como Multi Role Tanker Transport (MRTT).

Atualmente, a Royal Air Force tem duas aeronaves BAe 146 com configuração VIP, que utiliza para operações de curta distância e baixa capacidade, e mais dois para transportar cargas. Essas aeronaves são bastante antigas, com cerca de 36 anos de idade.

Embora se tenha pensado originalmente que os jatos da série Global 5000 seriam bons substitutos para os 146, agora parece não ser o caso. Também parece que a linha do tempo avançou um pouco, pois o A321LR está pintado e pronto para começar a trabalhar, embora possa exigir alguns ajustes internos na base da Titan em Londres.

Foto: Divulgação

 

 



SAIBA MAIS

Aviação Civil

22/03/2021


Azul transportou 25,9% menos passageiros em fevereiro A Azul Linhas Aéreas diminuiu o número de passageiros transportados em 25,9% em relação a janeiro deste ano. Essa queda é explicada pela aproximação da baixa temporada, aliada ao aumento dos casos de COVID no país. Comparando o RPK (número de passageiros transportados pelo número de quilômetros voados) de fevereiro de 2021 com o de 2020, observa-se uma redução de 34,4% (contando viagens nacionais e internacionais). Em relação a janeiro de 2021, fevereiro teve uma redução de 25,9% no número de passageiros transportados. Ressalte-se que, no mês passado, as operações nacionais representaram 98,7% do total. Na comparação com o mês anterior, a oferta de assentos nos voos da Azul diminuiu 25,6%. A taxa de ocupação da companhia aérea foi semelhante à de janeiro: 78,4% em fevereiro contra 78,7% em janeiro. Foto: Divulgação


Aviação Civil

22/03/2021


Gol acredita em recuperação mais consistente no segundo trimestre   Fechando o ano de 2020 com um prejuízo líquido de R$ 2,3 bilhões e uma redução de 14,9% no resultado operacional, a Gol Linhas Aéreas vem sentindo o forte impacto da pandemia de covid-19. Mesmo após uma leve recuperação no final do ano passado, após o aumento de casos no Brasil, a aérea precisou reduzir sua malha de abril para 200 voos por dia, número equivalente a agosto de 2020, e deixará de voar temporariamente para 9 cidades. Acredito que no fim do segundo trimestre veremos uma recuperação mais consistente do que estamos vendo agora, já que é previsto que a população acima de 60 anos seja vacinada. Isso diminuirá os casos da doença e as mortes”, diz o presidente da aérea, Paulo Kakinoff. Sobre oferta e capacidade, ele diz que o Brasil está enfrentando o mesmo fenômeno do começo da pandemia e que isso afeta os planos de curto prazo da companhia. Por isso, a empresa está sendo racional sobre a nova capacidade. “Alguns players do mercado estão reagindo mais rapidamente ou já têm no radar o que está acontecendo um pouco antes dos outros. Mas não estamos dependendo disso, tomamos medidas a fim de gerenciar nossa performance, independentemente de como nossos concorrentes estão agindo”, afirmou. Foto: Divulgação    



Publicidade