Fechar

Aviação Executiva



Compartilhar:

RSS

ANAC autoriza Líder Aviação a realizar transporte de oxigênio

ANAC autoriza Líder Aviação a realizar transporte de oxigênio

 

A Líder Aviação é a maior empresa de aviação executiva da América Latina. Fundada há 62 anos, conta com mais de 1.000 colaboradores, uma frota de mais de 55 aeronaves e está presente em 19 bases operacionais nos principais aeroportos brasileiros

Ontem (19/01) a empresa recebeu autorização da Agência Nacional de Aviação Civil - ANAC para o transporte de oxigênio. Essa permissão faz parte das ações do órgão para auxílio no combate à Covid-19 no Brasil e permite que o transporte deste tipo de substância passe a ser realizado também por aeronaves de carga ou com configuração cargueira aprovada. Além disso, é uma forma de fazer com que os cilindros cheguem mais rápido e alcance um maior número de municípios, principalmente em regiões de difícil acesso.   

Para este tipo de operação, a Líder Aviação utilizará seus helicópteros voltados para operações offshore, que atendem à indústria de óleo e gás, que são configurados para o transporte de passageiros e cargas. “São helicópteros robustos, com grande capacidade de carga e que são utilizados em operações que exigem um alto nível de segurança”, comenta o diretor comercial de O&G da Líder Aviação, Diego Reis.  

Segundo a ANAC, o transporte de algumas cargas, em razão dos perigos associados, é feito por empresas especializadas. É o caso do transporte de cilindros contendo oxigênio, classificado como artigo perigoso da UN 1072 (oxigênio comprimido) - pela Organização da Aviação Civil Internacional (OACI). O transporte de oxigênio pode ser realizado por operadores aéreos certificados pela ANAC, seguindo as disposições do RBAC 175 e do Doc. 9284 da OACI. 

Foto: Líder Aviação 

 



SAIBA MAIS

Industria

19/01/2021


Airbus planeja aumentar a produção do A320   Airbus está planejando aumentar a produção de sua família de aeronaves A320 para ultrapassar o número mensal de aviões fabricados em 2019. A fabricante de aviões baseada em Toulouse, tem planos de aumentar a produção de 60 para 63 aviões por mês em 2021. Em 2019, a Airbus estava fabricando 60 jatos da família A320 por mês. O CEO da Airbus, Guillaume Faury, disse que não achava que os níveis de 2019 seriam vistos novamente antes de 2025. Apesar do severo impacto que o coronavírus estava tendo na aviação, a Airbus ainda conseguiu entregar 556 aeronaves em 2020, das quais 446, sem contar o A220, eram jatos narrowbody. O aumento nas taxas de produção aumentará constantemente, chegando a 51 aviões por mês em janeiro de 2022, 57 em julho e 61 por mês em janeiro de 2023. Em outubro, a Airbus lançou seu terceiro Beluga XL baseado no cargueiro A330-200, que será usado para transportar várias peças de aeronaves em todo o mundo. Além disso, a Airbus, de acordo com Die Welt, construiu um enorme depósito de 45.000 m2 em suas instalações em Hamburgo, com inauguração prevista para julho, o mega warehouse permitirá à Airbus controlar melhor sua logística e trem de abastecimento. Enquanto as companhias aéreas tiveram que reduzir o número de voos que estão oferecendo devido à desaceleração da demanda e à proibição de viagens, a Airbus espera que a família de aeronaves A320 venda bem. As vendas de aeronaves narrowbody de corredor único devem permanecer robustas, com as operações domésticas e regionais previstas para se recuperar mais cedo do que os voos internacionais de longo curso. Os voos de longa distância também estão prestes a passar por uma reforma com aviões como o Airbus A321LR, prontos para abrir os mercados transatlânticos, onde operar um jato widebody não teria sido lucrativo. Foto: Airbus  


Aviação Executiva

19/01/2021


Dassault anuncia unificação da rede de vendas de MRO   Essa determinação refere-se às instalações da EMEA (Europa, Oriente Médio e África) e APAC (Ásia-Pacífico), criando um único ponto de contato e oferecendo uma escolha mais ampla de soluções de MRO (Manutenção, Reparo e Revisão), locais e programações para clientes dessas regiões. A consolidação de vendas de MRO é a mais recente de uma série de movimentos iniciados pela Dassault Aviation para garantir o máximo de escolha e flexibilidade, um padrão uniforme de serviço e uma experiência aprimorada do cliente para operadores Falcon em todo o mundo. A Dassault Aviation é uma empresa aeroespacial líder de mercado com uma presença em mais de 90 países, em cinco continentes. Fabrica o caça Rafale, bem como a linha completa de jatos executivos Falcon.  A nova organização de vendas, liderada por Thierry Salaün, reúne as operações de vendas de MRO da afiliada de propriedade exclusiva da Dassault Falcon Service (DFS) com as da TAG Maintenance Services (TMS) e o segmento Falcon da Execujet MRO Services, adquiridas no ano passado. Isso fornece às operadoras melhor acesso a todos os recursos de sua rede de serviços MRO expandida.  "Estamos aproveitando os pontos fortes combinados de nossos vários negócios de MRO, criando maiores eficiências e sinergias em todo o grupo", disse Jean Kayanakis, Vice-Presidente Sênior de Atendimento ao Cliente Mundial e Rede de Centros de Serviços. "Isso significa que os clientes não ficarão mais limitados a um local de serviço específico, mas podem acessar qualquer centro capaz de acomodar o escopo do trabalho, recursos e requisitos de programação do trabalho em questão." A nova organização também terá a responsabilidade de coordenar as vendas de MRO de aeronaves não-Falcon em toda a rede TMS.  Foto: Dassault  



Publicidade