Fechar

Aviação Civil



Compartilhar:

RSS

Gol acredita em recuperação mais consistente no segundo trimestre

Gol acredita em recuperação mais consistente no segundo trimestre

 

Fechando o ano de 2020 com um prejuízo líquido de R$ 2,3 bilhões e uma redução de 14,9% no resultado operacional, a Gol Linhas Aéreas vem sentindo o forte impacto da pandemia de covid-19. Mesmo após uma leve recuperação no final do ano passado, após o aumento de casos no Brasil, a aérea precisou reduzir sua malha de abril para 200 voos por dia, número equivalente a agosto de 2020, e deixará de voar temporariamente para 9 cidades.

Acredito que no fim do segundo trimestre veremos uma recuperação mais consistente do que estamos vendo agora, já que é previsto que a população acima de 60 anos seja vacinada. Isso diminuirá os casos da doença e as mortes”, diz o presidente da aérea, Paulo Kakinoff.

Sobre oferta e capacidade, ele diz que o Brasil está enfrentando o mesmo fenômeno do começo da pandemia e que isso afeta os planos de curto prazo da companhia. Por isso, a empresa está sendo racional sobre a nova capacidade.

“Alguns players do mercado estão reagindo mais rapidamente ou já têm no radar o que está acontecendo um pouco antes dos outros. Mas não estamos dependendo disso, tomamos medidas a fim de gerenciar nossa performance, independentemente de como nossos concorrentes estão agindo”, afirmou.

Foto: Divulgação

 



SAIBA MAIS

Aviação Civil

22/03/2021


Binter recebe sua quarta aeronave Embraer E195-E2       É um modelo de aeronave amplamente aceito pelos clientes da companhia aérea devido às suas características e desempenho. O E195-E2 é um jato de um corredor muito silencioso, limpo e eficiente, que proporciona aos passageiros uma experiência muito confortável, já que a aeronave, com uma configuração de 132 assentos, possui um pitch (distância de um ponto de um assento até o mesmo ponto do anterior) de 79 cm entre as fileiras para melhorar o conforto dos seus ocupantes. Além disso, possui um compartimento superior com capacidade para acomodar até uma bagagem de mão por viajante. A aeronave também incorpora melhorias importantes, que permitem a redução do consumo de combustível. É considerada a aeronave mais ecológica de sua classe e possui os mais baixos níveis de ruído e emissões externas. Esta semana, a Binter foi reconhecida pela renovação de sua frota pelo provedor suíço de serviços de inteligência para as companhias aéreas Ch-Aviation, dentro do prêmio anual `Ch-Aviation World´s Youngest Aircraft Fleet Award. É um prémio que reconhece as companhias aéreas que se empenham em manter uma frota jovem, moderna e eficiente e desde o próprio prestador do serviço esclarecem que se baseia inteiramente em dados objetivos da frota e não é manipulável. Foto: Divulgação      


Aviação Civil

22/03/2021


Lufthansa fica com quatro Airbus A380 em Frankfurt   A Lufthansa ficou com apenas quatro Airbus A380 no Aeroporto Internacional de Frankfurt após outro voo de translado. O D-AIMD foi a última aeronave a ir para o armazenamento de longo prazo, partindo para Teruel na Espanha no início desta manhã (22/03). O avião chegou ao “estacionamento de aeronaves” da Tarmac Aerosave em Teruel, Espanha. Com condições áridas, o local é adequado para o armazenamento de longo prazo de aeronaves, já abrigando mais da metade da frota da companhia aérea. No entanto, o clima nem sempre é perfeito. O avião deveria partir na quinta e depois na sexta-feira da semana passada,mas essas partidas foram atrasadas devido ao mau tempo em Teruel. Mais dois Airbus A380 devem seguir o D-AIMD para as instalações de armazenamento espanhol nos próximos meses. Isso permite que a companhia aérea libere espaço de estacionamento no Aeroporto de Frankfurt para aeronaves que voarão antes do A380. Como a aeronave não terá uso no futuro previsível, faz sentido transportá-la até Teruel, onde o armazenamento custará menos. Do jeito que as coisas estão, a Lufthansa ainda retirou definitivamente apenas seis de suas aeronaves Airbus A380. Os oito restantes foram 'desativados temporariamente'. No entanto, o futuro parece tudo menos brilhante do gigante dos céus, tanto quanto o porta-bandeira alemão está em causa. O CEO da companhia aérea, Carsten Spohr, indicou, em várias ocasiões, que a companhia aérea está planejando um futuro sem A380. Curiosamente, a companhia aérea continua a operar uma parte de sua frota de Boeing 747-8 de idade semelhante. Foto: Divulgação  



Publicidade