Fechar

Aviação Civil



Compartilhar:

RSS

Novos tempos: Kam Air realiza primeiro voo com uma tripulação totalmente feminina no Afeganistão

Novos tempos: Kam Air realiza primeiro voo com uma tripulação totalmente feminina no Afeganistão

 

Um voo no Afeganistão recentemente fez história, já que Kam Air operou o primeiro serviço com uma tripulação feminina a bordo. Duas pilotos acompanhadas por quatro comissárias voaram no 737-500 de Cabul a Herat

O Dia Internacional da Mulher costuma ver uma enxurrada de voos femininos ao redor do mundo, mas para Kam Air, esse voo foi inovador em mais aspectos do que a maioria. Em um país que tem uma história de poucos direitos das mulheres, este voo não foi apenas a primeira vez para Kam Air, mas também para o Afeganistão.

Kam Air é uma companhia aérea afegã relativamente jovem, fundada em 2003. Continua a ser a única companhia aérea privada no país. Embora atualmente esteja banida do espaço aéreo da UE, sua recente certificação sob o esquema IOSA da IATA lhe dá esperança de ser removido da lista negra. A companhia aérea disse que deseja começar a voar para Frankfurt em breve.

A primeira piloto afegã de Kam Air, Mohadese Mirzaee, de apenas 22 anos assumiu o papel de Primeira Oficial acompanhando a capitã Veronica Borysova, de 32 anos, que foi a segunda piloto mulher a ingressar na companhia aérea.

De volta à cabine, quatro comissárias de bordo mantiveram as coisas em ordem para os passageiros a bordo. A aeronave foi o YA-KMN, um Boeing 737-500 de 23 anos. É uma aeronave antiga, mas não a mais velha da frota. O 737 mais antigo de Kam Air tem 25,5 anos e é o 737-300 YA-KMV. Kam Air também aluga um 767-300 da ucraniana Wings, que tem mais de 28 anos.

Mas o avião era mais velho do que a primeiro oficial a bordo para esse voo. O 737 decolou do Aeroporto Internacional Hamid Karzai em Cabul às 13h do dia 24 de fevereiro de 2021 para seu voo de 650 km para Herat, no oeste do Afeganistão.

Foto: Divulgação

 

 



SAIBA MAIS

Aviação Civil

08/03/2021


ANA expande voos do A380 para lugar nenhum   A japonesa All Nippon Airways está expandindo seu programa de voos Airbus A380 para lugar nenhum, eles começarão a partir de Kansai e Chubu a partir de meados de abril. Embora voos para lugar nenhum não sejam novidade, eles ganharam um novo sopro de vida como resultado da pandemia COVID-19. Com algumas fronteiras fechadas ou fortemente restritas, esses voos permitiram que indivíduos interessados ​​voassem sem deixar o país ou mesmo a cidade. Desde agosto, a aérea japonesa All Nippon Airways opera voos para lugar nenhum com seu Airbus A380. Devido à grande demanda, a companhia aérea vem aumentando o número de voos operando fora de Tóquio. No entanto, agora o A380 se ramificará para mais longe com a programação de cinco voss em abril. Cada um dos voos turísticos tem a duração prevista de três horas e 30 minutos. É claro que os voos são uma adição bem-vinda pelos passageiros da companhia aérea. Na verdade, a ANA tem que operar uma loteria para distribuir seus bilhetes de voo do A380 para lugar nenhum, com muitos deles saindo decepcionados a cada vez. No entanto, a companhia aérea também se beneficia com a operação desses voos. A forma mais óbvia de que a companhia aérea se beneficia é pela receita gerada pelos voos para lugar nenhum. Afinal, um avião que não voa é um avião que não dá dinheiro. Por isso, há um benefício adicional para a companhia aérea. Foto: Airbus  


Aviação Civil

08/03/2021


Viva Aerobus aumenta a taxa de ocupação   Viva Aerobus, companhia aérea mexicana de ultrabaixo custo, informa que em fevereiro de 2021 registrou uma taxa de ocupação de 76,7%, 4,4 pontos percentuais a mais que em janeiro passado, como resultado de sua operação estratégica para atender às necessidades de transporte, seguro e acessível em linha com as tendências de recuperação do mercado. Com esse compromisso, a Viva Aerobus continua ampliando sua capacidade, medida em assentos por quilômetro oferecido (ASKs), atingindo um crescimento de 9,3% em relação à capacidade ofertada em fevereiro de 2020. Nesse sentido, com um serviço atrelado a rigorosas medidas de prevenção e higiene, a companhia aérea lançou este mês à venda a rota Cancún - Acapulco, a primeira a ser anunciada este ano em prol de uma reativação responsável e segura do setor da aviação e do turismo. do México. Em relação ao número de passageiros cadastrados, o Viva teve neste mês de fevereiro a preferência de mais de 645 mil passageiros, uma redução de 23,2% em relação a janeiro de 2021, em função dos efeitos da atual pandemia do COVID-19 sobre a demanda por voos. Foto: Divulgação    



Publicidade