Fechar

Aviação Civil



Compartilhar:

RSS

Colômbia poderá ter duas novas companhias aéreas este ano

Colômbia poderá ter duas novas companhias aéreas este ano

 

O principal hub da Colômbia é o Aeroporto Internacional El Dorado, em Bogotá. Avianca e LATAM usam este aeroporto como sua porta de entrada e saída do país. No entanto, ultimamente, tem havido algum movimento para descentralizar a indústria da aviação na Colômbia.

Na semana passada, a operadora de baixo custo Viva Air anunciou que iria começar a operar várias rotas internacionais a partir de seu hub em Medellín. Agora, a Starblue Airlines, recentemente pediu permissão às Autoridades de Aviação Civil da Colômbia (Aerocivil) para operar seis voos domésticos de duas cidades colombianas e cinco rotas internacionais.

O dia 25 de fevereiro é a data crucial para muitos planos da aviação colombiana, pois a Aerocivil terá uma audiência pública e decidirá o futuro da Starblue Airlines e discutirá os planos da Volaris e da Viva Aerobus de entrar no mercado colombiano. As duas operadoras mexicanas de baixo custo planejam operar voos para Bogotá e Medellín.

Se Ultra Air e Starblue obtiverem suas permissões para operar, a Colômbia poderia ter nove companhias aéreas domésticas antes do final do ano. Avianca e LATAM continuariam como as principais operadoras do país; seus concorrentes atualmente são Viva Air, SATENA, CGA, EasyFly e Wingo.

Foto: Divulgação

 



SAIBA MAIS

Aviação Civil

23/02/2021


Lufthansa envia mais um Airbus A380 para a França para armazenamento de longo prazo Ontem (22/02) foi mais um dia triste para a Lufthansa e os fãs do A380, já que a companhia aérea alemã despachou outro de seus A380 para armazenamento de longo prazo em Tarbes, no sudoeste da França. O avião de 9 anos partiu do aeroporto de Frankfur. Este foi o primeiro voo da aeronave desde a operação de uma missão de repatriação de Bangkok, 11 meses atrás, em 20 de março. Antes da sua parada, o D-AIMI operava cerca de 300 horas de vôo por mês para destinos como Cingapura, Los Angeles, Bangkok e Delhi. Quando a Lufthansa começou a realocar seus A380 restantes de Frankfurt há um mês, um porta-voz da companhia aérea disse que “a Lufthansa iniciará a transferência de cinco de seus Airbus A380 de Frankfurt para Teruel/Espanha ou Lourdes-Tarbes/França para economizar custos de estacionamento e armazenamento, já que atualmente as taxas em Frankfurt são mais altas do que em Teruel ou Lourdes. As outras quatro aeronaves estão programadas para serem transferidas uma a cada mês.” Foto: Divulgação    


Aviação Civil

22/02/2021


O tráfego de passageiros na América Latina e Caribe diminuiu 59,2% em 2020   A Associação Latino-americana e Caribenha de Transporte Aéreo (ALTA) informou que as companhias aéreas que operam nesse mercado transportaram 177,3 milhões de passageiros em 2020, 59,2% a menos - ou 256.783.534 passageiros a menos - em comparação com o ano anterior. O tráfego (RPK) diminuiu 61,9% e a capacidade (ASK) diminuiu 55,7%, levando a taxa de ocupação para 71,3%, 11,5 pontos percentuais a menos que em 2019. “Desde abril de 2020, quando atingimos o ponto mais baixo com 1 milhão de passageiros transportados no mês, a região foi recuperando aos poucos, mas de forma constante, o tráfego de passageiros chegando a quase 20 milhões de passageiros transportados em dezembro, mais de 50% dos passageiros que voou em dezembro de 2019”, declarou o presidente da ALTA José Ricardo Botelho. México, Brasil e Chile, países que não paralisaram sua atividade aeronáutica ao longo de 2020, responderam pela grande maioria do tráfego do ano. O México teve um total de 48 milhões de passageiros, o que representa 27% do tráfego total da região, e também foi o país com a menor redução de tráfego total com 53% menos passageiros do que em 2019, 6 pontos percentuais acima da média regional. Foto: Divulgação    



Publicidade