Fechar

Aviação Civil



Compartilhar:

RSS

Homenagem ao antigo nome da Air Canada

Homenagem ao antigo nome da Air Canada

 

A companhia aérea Air Canada está finalizando a nova pintura retro de um dos seus Airbus A220. A aeronave agora exibirá as cores da Trans-Canada Air Lines, que operou entre 1937 e 1965 antes de ser renomeada para Air Canada.

O A220-300 prefixo C-GNBN, foi pintado pela Airbus em suas instalações próximas ao Aeroporto Internacional de Montreal-Mirabel, onde a TCA também estava sediada e onde a Air Canada ainda está baseada. O avião deve ser entregue à companhia aérea em breve.

A mudança de nome da Trans-Canada Air Lines foi uma iniciativa de Jean Chrétien. O homem que mais tarde se tornaria o vigésimo primeiro-ministro do país queria dar à companhia aérea nacional do Canadá um nome bilíngue. O nome Air Canada já era usado pelos canadenses franceses.

Foto: Divulgação

 



SAIBA MAIS

Aeroportos

22/02/2021


Finalmente as low cost voarão do Aeroparque   O aeroporto El Palomar poderá ser esquecido. A luta para manter seu status está diminuindo após a possibilidade de JetSmart e Flybondi voar para destinos dentro do país uma vez que o Aeroparque volte a funcionar. Talvez para a JetSmart a decisão seja a novidade esperada, já que ter uma vaga no aeroporto metropolitano era seu desejo inicial. Basta lembrar que, em dezembro de 2019, a empresa Indigo Partners anunciou a aquisição da Norwegian Air Argentina para, entre outras coisas, utilizar suas instalações no Aeroparque. A atual decisão de abrir o Aeroparque para as low cost é pelo menos disruptiva em relação ao que vinha sendo realizado desde dezembro de 2020 no que se poderia chamar de boa vontade "política aérea comercial", porém, em busca da equanimidade, vale pensar que prevaleceu uma certa racionalidade ao nível das operações de aviação comercial em pandemia. Foto: Divulgação    


Aviação Civil

22/02/2021


O tráfego de passageiros na América Latina e Caribe diminuiu 59,2% em 2020   A Associação Latino-americana e Caribenha de Transporte Aéreo (ALTA) informou que as companhias aéreas que operam nesse mercado transportaram 177,3 milhões de passageiros em 2020, 59,2% a menos - ou 256.783.534 passageiros a menos - em comparação com o ano anterior. O tráfego (RPK) diminuiu 61,9% e a capacidade (ASK) diminuiu 55,7%, levando a taxa de ocupação para 71,3%, 11,5 pontos percentuais a menos que em 2019. “Desde abril de 2020, quando atingimos o ponto mais baixo com 1 milhão de passageiros transportados no mês, a região foi recuperando aos poucos, mas de forma constante, o tráfego de passageiros chegando a quase 20 milhões de passageiros transportados em dezembro, mais de 50% dos passageiros que voou em dezembro de 2019”, declarou o presidente da ALTA José Ricardo Botelho. México, Brasil e Chile, países que não paralisaram sua atividade aeronáutica ao longo de 2020, responderam pela grande maioria do tráfego do ano. O México teve um total de 48 milhões de passageiros, o que representa 27% do tráfego total da região, e também foi o país com a menor redução de tráfego total com 53% menos passageiros do que em 2019, 6 pontos percentuais acima da média regional. Foto: Divulgação    



Publicidade