Fechar

Aviação Civil



Compartilhar:

RSS

GOL: primeira companhia aérea a retomar os voos com o Boeing 737 MAX

GOL: primeira companhia aérea a retomar os voos com o Boeing 737 MAX

 

A GOL Linhas Aéreas Inteligentes S.A., a maior companhia aérea do Brasil, anunciou a volta a operaração do Boeing 737 MAX a partir de 9 de dezembro nas rotas domésticas. Os primeiros voos serão nas rotas que operm no hub de São Paulo. Até o final de dezembro, os sete Boeing 737 MAX da frota da GOL estarão liberadas para voltar à operação.

 

“Nossa prioridade é sempre a segurança de nossos clientes”, afirma Celso Ferrer, VP de Operações da GOL e piloto comercial, já treinado para voar o 737 MAX, que voa regularmente em aviões da Boeing. “Nos últimos 20 meses, acompanhamos o desenrolar da revisão de segurança mais abrangente da história da aviação comercial, reunindo agências reguladoras e companhias aéreas de todo o mundo, para monitorar e contribuir com as melhorias nos sistemas e no treinamento de pilotos das aeronaves.

Consequentemente, após a nova certificação do Boeing 737 MAX pela FAA (Administração Federal de Aviação dos Estados Unidos) e pela ANAC (Agência Nacional de Administração de Aviação Civil do Brasil), estamos totalmente confiantes no retorno do MAX ao serviço”, afirmou o executivo. Foto: Artur Gulmini





SAIBA MAIS

Aviação Civil

07/12/2020


BoA passa a voar nove vezes semana entre Brasil e Bolívia Desde o dia 1º de dezembro, a companhia aérea boliviana BoA (Boliviana de Aviación), está aumentando de sete para nove frequências semanais entre o Brasil e a Bolívia. Os voos operam no Brasil a partir do Aeroporto Internacional de Guarulhos, na cidade de São Paulo, com destino ao aeroporto internacional Viru Viru, em Santa Cruz de La Sierra, com conexões para a capital boliviana, La Paz, e outras cidades do país vizinho. Foto: Opinión Bolivia  


Aviação Civil

07/12/2020


Delta e KLM Royal Dutch Airlines oferecerão voos testados para COVID de Atlanta a Amsterdã   As companhias trabalharam com o governo holandês e os aeroportos de Atlanta e Amsterdã em um programa de testagem para Covid-19, permitindo que os clientes qualificados fiquem isentos da quarentena após um resultado negativo no exame feito na chegada à Holanda.  A partir de 15 de dezembro, os parceiros transatlânticos Delta Air Lines e KLM Royal Dutch Airlines oferecerão voos testados para Covid entre Atlanta e Amsterdã. As companhias aéreas parceiras trabalharam com o governo holandês, com o Aeroporto Schiphol, em Amsterdã, e com o Aeroporto Internacional Hartsfield-Jackson, em Atlanta, para desenvolver um programa de testagem para Covid-19 abrangente, que permitirá aos clientes qualificados ficarem isentos da quarentena na chegada à Holanda, após receberem um resultado negativo do teste PCR ao desembarcar no país europeu. Os voos testados para Covid de Atlanta a Amsterdã vão ser realizados quatro vezes por semana, com a Delta e a KLM operando duas frequências cada. Somente passageiros com resultado negativo no exame poderão embarcar. Inicialmente, os voos serão oferecidos por três semanas e, se forem bem-sucedidos, as companhias esperam estender o programa a outros mercados. Os viajantes poderão escolher as frequências testadas para o novo coronavírus ao comprar suas passagens online ou então optar por um dos voos diários alternativos da Delta ou da KLM entre Atlanta e Amsterdã que não estão inclusos no programa de testes.  “A criação de corredores de viagem sem Covid, aliada às várias medidas de segurança e higiene que adotamos por meio do Delta CareStandard (Padrão Delta de Atendimento), proporcionará aos clientes e às autoridades maior confiança de que podem permanecer saudáveis ​​durante o voo”, disse o presidente da área Internacional e vice-presidente executivo de Vendas Globais da Delta, Steve Sear. “Trabalhamos com nossos parceiros e autoridades de saúde para reabrir os voos com segurança e retomar as viagens aéreas internacionais até que uma vacina esteja disponível, eliminando a necessidade de quarentena”.  As exigências para entrada na Holanda normalmente incluem 10 dias de quarentena. No entanto, ao ter um teste PCR negativo, feito cinco dias antes da chegada ao país, e se autoisolando até a data da viagem, os passageiros podem optar por concluir a quarentena antes do voo de partida. Nenhuma quarentena será exigida na chegada à Holanda, desde que o resultado do exame do cliente seja negativo em um segundo teste PCR realizado no Aeroporto de Schiphol.  O novo protocolo estará disponível para todos os cidadãos autorizados a viajar para a Holanda por razões essenciais, incluindo determinados motivos específicos de trabalho, saúde e educação. Os clientes que estão em trânsito via Amsterdã para outros países ainda deverão seguir os requisitos de entrada e quaisquer exigências obrigatórias de quarentena que estejam em vigor em seu destino final.  Para embarcar nos voos testados para Covid da Delta e da KLM de Atlanta para Amsterdã, os passageiros precisarão:   Fazer um teste para Covid do tipo Reação em Cadeia da Polimerase (PCR) 5 dias antes da chegada a Amsterdã;  Fazer um teste rápido de antígeno antes de embarcar no Aeroporto de Atlanta. Fazer um teste PCR na chegada a Schiphol.         Foto: Divulgação    



Publicidade