Fechar

Aeroportos



Compartilhar:

RSS

Não será construída a expansão do aeroporto Charles De Gaulle

Não será construída a expansão do aeroporto Charles De Gaulle

 

O governo francês anunciou ontem (11/02) que quer engavetar os planos de expansão do Aeroporto Paris-Charles de Gaulle. A ministra da Transição Ecológica, Barbara Pompili, disse que o projeto, que previa a construção de um quarto terminal até 2037, estava “obsoleto” e não correspondia aos objetivos do governo de combate às alterações climáticas.

“Sempre precisaremos de aviões, mas devemos avançar para um uso mais razoável das viagens aéreas e alcançar uma redução nas emissões de gases de efeito estufa do setor”, disse Pompili no comunicado.

O plano era para a operadora de aeroporto ADP, da qual o governo detém uma participação majoritária, expandir a capacidade de Charles de Gaulle em 40 milhões de passageiros por ano por meio da adição de um novo terminal. Isso significaria um aumento de mais de 50% de sua capacidade atual.

Foto: Divulgação

 



SAIBA MAIS

Aviação Executiva

12/02/2021


Bombardier vai parar de fabricar o Learjet   O Learjet 75 Liberty entrou no mercado no final do ano passado, mas a produção da linha completa Learjet está chegando ao fim no final de 2021 como parte de uma série de medidas de redução de custos. Mas a Bombardier prometeu suporte contínuo. O aumento nas entregas globais de 7500 levou a um crescimento de 3 por cento ano a ano nas receitas de aeronaves executivas da Bombardier para US$ 5,6 bilhões, mas a empresa está encerrando a produção de Learjet até o final do ano, demitindo 1.600 trabalhadores. No final do ano passado, a Bombardier disse que planejava anunciar medidas agressivas para resolver sua dívida assim que se tornasse uma empresa de aviação executiva pura, após a venda de seu negócio ferroviário - sua última unidade de aviação não executiva - para a Alstom. Ao divulgar os resultados de 2020 ontem (11/02), o presidente e CEO da Bombardier, Éric Martel, disse que a decisão de encerrar a produção após uma história de quase 60 anos não foi fácil de ser tomada. Observando que mais de 3.000 Learjet foram entregues desde que a marca entrou no mercado em 1963, ele disse: “O icônico Learjet teve um impacto notável e duradouro na aviação executiva”. No entanto, ele acrescentou: “Dado o número de novos participantes no segmento de jatos leves e a dinâmica desafiadora do mercado, precisamos concentrar nossos esforços futuros em nossas famílias de aeronaves Global e Challenger mais lucrativas”. “A redução da força de trabalho é sempre muito difícil e lamentamos ver funcionários talentosos e dedicados deixarem a empresa por qualquer motivo”, disse Martel. “Mas essas reduções são absolutamente necessárias para reconstruirmos nossa empresa enquanto continuamos a navegar pela pandemia.” Foto: Divulgação    


Aviação Civil

12/02/2021


Copa Airlines quer mais 14 Boeing 737 MAX até 2023   A aérea panamenha Copa Airlines espera aumentar sua frota de Boeing 737 MAX de seis quando retomou as operações com o tipo para 20 até o final de 2022. O plano já está em andamento porque a companhia aérea já recebeu quatro novos Boeing 737 MAX 9 nas últimas semanas. Bem antes da pandemia, a Copa Airlines assinou um acordo com a Boeing para adquirir até 61 aviões Boeing 737 MAX. O plano da transportadora panamenha era melhorar e substituir aviões mais antigos, como as frotas Embraer E190 e Boeing 737-700. Foto: Divulgação    



Publicidade