Fechar

Aeroportos



Compartilhar:

RSS

Reserve sua vaga de estacionamento em Guarulhos

Reserve sua vaga de estacionamento em Guarulhos

 

O GRU Airport – Aeroporto Internacional de São Paulo, é o maior complexo aeroportuário da América do Sul. Em 2020, registrou mais de 20 milhões de embarques e desembarques de pessoas e, como muitos já sabem, às vezes não é fácil achar uma vaga para estacionar.

 

Agora, os passageiros e usuários do Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos, podem reservar vagas de estacionamento usando o site (https://www.gru.com.br/pt) ou o aplicativo da GRU Airport, e garantir descontos exclusivos que variam de 10% a 30%, quando comparado com o preço de tabela.

 

Após reservar a vaga por um dos canais digitais do GRU Airport, o cliente receberá um voucher com QR Code para acessar o estacionamento. Ao apresentar-se na cancela do estacionamento escolhido, o usuário deve escanear o QR Code no totem da cancela e terá o acesso liberado. 

 

Essa nova facilidade trará comodidade e ainda oferecerá promoções. Com mais essa possibilidade, o usuário poderá deixar o veículo em um local seguro e monitorado, ter a certeza de quanto vai pagar e ganhar tempo na hora do embarque e desembarque, evitando assim qualquer imprevisto na chegada e saída do aeroporto.

 

Os passageiros que fizerem as reservas de estacionamento para o período entre 12 e 21 de fevereiro terão preços exclusivos para aproveitar mais essa comodidade.

 

Foto: Divulgação

 

 



SAIBA MAIS

Industria

08/02/2021


Realizado primeiro voo comercial com querosene sintético sustentável   Pela primeira vez no mundo, um voo de passageiros parcialmente realizado com querosene sintético produzido de forma sustentável foi realizado na Holanda. O anúncio foi feito hoje durante a conferência internacional sobre Combustíveis Sustentáveis Sintéticos de Aviação (SAF) em Haia. A Shell, produtora do querosene sustentável e a KLM, operadora do voo, apresentaram este feito durante a reunião liderada por Cora van Nieuwenhuizen, Ministra de Infraestrutura e Gestão da Água da Holanda. A Holanda é um dos países da Europa que visa liderar e impulsionar o desenvolvimento e a aplicação de combustíveis sustentáveis de aviação para tornar a aviação mais sustentável. O país quer estimular o estudo e a aplicação de combustíveis sustentáveis de aviação (biocombustíveis e querosene sintético) para que as companhias aéreas europeias possam voar inteiramente com combustível sustentável até 2050.   O governo holandês apoia diversas iniciativas para estimular a produção e o uso e, assim, torná-lo comercialmente viável. A construção da primeira fábrica europeia de bioquerosene sustentável em Delfzijl, na Holanda, para a qual a SkyNRG está colaborando com a KLM, Aeroporto de Schiphol e SHV Energy, é um exemplo. Conforme anunciado durante a conferência, o primeiro voo comercial de passageiros partiu do aeroporto Schiphol de Amsterdã para Madrid no mês passado, e foi realizado com uma mistura de 500 litros de querosene sintético sustentável. A Shell produziu o querosene sintético em seu centro de pesquisa em Amsterdã com base em CO2, água e energia renovável do sol e vento.   Vários políticos europeus, incluindo o Comissário Timmermans, o ministro dos transportes alemão Scheuer e o seu colega francês Djebbari, destacaram a importância de desenvolver combustíveis de aviação produzidos de forma sustentável para reduzir as emissões de CO2 e dar à aviação um bom futuro. Foto: Divulgação  


Aviação Civil

08/02/2021


Voos elétricos de curta distância nos próximos 20 anos À medida que as empresas começam a fazer experiências com aviões movidos a eletricidade, os chefes das companhias aéreas, incluindo o CEO da Finnair, Topi Manner, acreditam que veremos voos elétricos de curta distância nos próximos 20 anos. A maioria das pessoas já deve ter ouvido a palavra “flygskam”, que em sueco significa vergonha de voar e é o nome de um movimento anti-voo que tenta encorajar as pessoas na Escandinávia a pararem de voar. Flygskam culpa a indústria da aviação pelas mudanças climáticas e quer que as pessoas parem de voar para ajudar a reduzir as emissões de carbono. O movimento de vergonha do voo e sua capacidade de impedir as pessoas de voar não passaram despercebidos pelos executivos das companhias aéreas escandinavas. É também uma das razões pelas quais a companhia aérea finlandesa de bandeira nacional Finnair está procurando aeronaves movidas a eletricidade. Em um comunicado divulgado hoje, a Finnair diz que está envolvida em testes para usar aeronaves movidas a eletricidade e energia solar para voos de curta distância. Ao ser entrevistado, o presidente da Finnair, Topi Manner, disse que “estamos envolvidos na fase inicial de testes de energia elétrica e solar na região nórdica, especialmente voos com autonomia de uma a uma hora e meia. Verei voos operados dessa forma durante a minha vida; em cerca de 20 anos, será possível.” A companhia aérea sediada no Aeroporto de Helsinque-Vantaa (HEL) diz que estabeleceu uma meta para reduzir sua pegada de carbono em 50% nos próximos quatro anos e ser totalmente neutra em carbono até 2045. Foto: Divulgação    



Publicidade